14/04/2014 09h28 – Atualizado em 14/04/2014 09h28

Dentre os 24 parlamentares que ocupam cadeiras no Legislativo Estadual, só quatro confirmaram que não vão para as urnas buscar a reeleição

Léo Lima

Dos 24 deputados estaduais, apenas quatro não irão tentar a reeleição na Assembleia Legislativa. Entre eles está o atual presidente da Casa, o deputado Jerson Domingos (PMDB), além de Londres Machado (PR), Márcio Monteiro (PSDB) e Carlos Marun (PMDB).

Jerson Domingos já confirmou que não irá continuar no legislativo, já que deve ser indicado para a vaga de conselheiro no TCE (Tribunal de Contas Estadual), no lugar do atual presidente da instituição, Cícero de Souza, que irá se aposentar em novembro deste ano.

Já Londres Machado (PR) resolveu abdicar de um novo mandato para apoiar a sua filha, a vereadora Grazielle Machado (PR), que irá tentar uma vaga no legislativo estadual. “Após 44 anos de mandato, vou repassar meu patrimônio político para Grazielle, que irá representar as pessoas que durante todo este tempo estiveram ao nosso lado”, apontou ele.

MUDANÇA

Os deputados Carlos Marun (PMDB) e Márcio Monteiro (PSDB) irão disputar uma vaga na Câmara Federal, como candidatos a deputado federal nesta eleição.

“Resolvi tentar uma vaga em Brasília, já que vou apoiar outros nomes para o legislativo estadual, espero ter a confiança da população nesta nova missão”, destacou Marun. Após a permanência de Edson Giroto (PR) no governo estadual, o deputado pode preencher esta lacuna.

Márcio Monteiro segue o mesmo caminho e deve tentar ficar com a vaga e o reduto eleitoral de Reinaldo Azambuja (PSDB) que já declarou que vai disputar a vaga de Senado ou governador em 2014, não sendo candidato a reeleição na Câmara dos Deputados.

Os outros 20 deputados já estão se articulando e planejando as ações de campanha, que começam após as convenções partidárias em junho.

O deputado Antônio Carlos Arroyo (PR) é o único que pode mudar de ideia durante este período, já que se cogita uma indicação para o TCE, no lugar do conselheiro José Ricardo Cabral, que poderia se aposentar de forma voluntária, por ter tempo de serviço suficiente, mas está saída não está confirmada. (Campo Grande News)

Plenário da Assembléia Legislativa de Mato Grosso do Sul; na sessão os 24 parlamentares presentes (Foto: Divulgação)

Comentários