20/08/2014 12h42 – Atualizado em 20/08/2014 12h42

Dados da Reflore apontam para um total de 690 mil hectares e que a silvicultura está mais rentável que a pecuária

Da Redação

O Estado do Mato Grosso do Sul registrou 690 mil hectares de eucaliptos plantados em 2013 – um número 475% maior em relação ao ano de 2006, quando fora iniciado o cultivo de 120 mil hectares. Os dados são do último relatório da Reflore – Associação Sul-Mato-Grossense de Produtores e Consumidores de Florestas Plantadas.

Além de rentável, a atividade é alternativa para a Integração Lavoura, Pecuária e Floresta (ILPF). O cultivo de eucalipto como diversificação na propriedade rural será abordado em palestra na Feira do Empreendedor 2014, no Centro de Convenções Albano Franco, em Campo Grande. A palestra ‘Cultivo de Eucalipto como Diversificação’ acontece no sábado, 23, às 20h45, na Sala de Palestras 01, no Espaço Agronegócios.

Ecologicamente correto e com alta demanda no mercado, o cultivo de eucalipto é realizado em pequenas e médias propriedades do Estado. Para o instrutor do Senar/MS – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso do Sul, Ramiro Juliano da Silva, um fator importante que contribui para o aumento do plantio de eucalipto no Estado é a viabilidade da madeira. “O eucalipto é duas vezes mais rentável do que a pecuária, por exemplo, e o produtor pode recorrer a programas de incentivo à atividade, o que o deixa mais próximo do comércio com empresas florestais, presentes em peso no Estado”, destaca.

Para iniciar o plantio de eucalipto na propriedade rural, o investimento gira em torno de R$ 5 mil por hectare. A primeira extração de madeira pode ser feita entre o quinto e sétimo ano e cobre as despesas do valor desembolsado. “A partir da próxima retirada, que acontece no 15º ano, o lucro gira em torno de R$ 2,5 mil por hectare”, explica Silva, que recomenda que o produtor interessado em investir na atividade faça um estudo de mercado para determinar qual será o destino da produção.

O cultivo de eucalipto em Mato Grosso do Sul foi pioneiro em Três Lagoas, Ribas do Rio Pardo e Água Clara – municípios à margem da Ferrovia Noroeste, que ligava Bauru (SP) a Corumbá. A ferrovia foi instalada no Estado em meados de 1914. A necessidade de abastecimento da locomotiva com madeira incentivou o plantio ainda que tímido de eucalipto nessas cidades. Começava assim o cultivo da madeira no Estado.

A 6ª edição da Feira do Empreendedor é realizada pelo Sebrae/MS – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Mato Grosso do Sul, em parceria com o Sistema Famasul, Sistema Fecomércio, Sistema Fiems, entre outras entidades. O evento acontece de 21 a 24 de agosto, das 14 às 22 horas. O pré-credenciamento pode ser feito no endereço www.feiradoempreendedorms.com.br, no qual também é possível consultar a programação completa de eventos. A participação em todas as atividades é gratuita. Mais informações: 0800 570 0800.

(*) Com informações de Painel Florestal

Comentários