23/02/2018 16h32

Prestação de contas, em cumprimento à legislação, foi em Audiência Pública, na Câmara Municipal

Redação

A Secretaria Municipal de Assistência Social (SAS) de Três Lagoas, em conjunto com a Secretaria Municipal de Finanças, Receita e Controle (SEFIRC), realizou Audiência Pública na manhã desta sexta-feira (23), no Plenarinho da Câmara Municipal.

A Audiência Pública teve como finalidade a prestação de contas dos recursos do Fundo Estadual de Assistência Social (FEAS), no exercício de 2017, como estabelece a legislação.

A apresentação, logo após a prestação de contas da SEFIRC, esteve a cargo da diretora de Gestão de Política Municipal de Assistência Social, Daiane Caroline Queiroz Ramos Mateus, e foi acompanhada pela diretora de Proteção Social Básica, Maurelice Nunes dos Santos, e da diretora de Apoio Técnico Administrativo à Gestão Municipal, Lidiane Ferreira.

Os recursos da SAS são provenientes do Fundo Municipal de Assistência Social – FMAS, no valor acima de R$ 3,55 milhões; Fundo Nacional de Assistência Social – FNS, em torno de R$ 2,55 milhões; e do Fundo Estadual de Assistência Social, no valor de R$ 438.966,00.

APLICAÇÃO DOS RECURSOS

Esses recursos foram aplicados nas múltiplas ações das seis unidades de Centro de Referência de Assistência Social – CRAS Amélia Jorge, CRAS São João, CRAS Vila Piloto, CRAS Ruth Filgueiras, CRAS Interlagos e CRAS Ana Maria Moreira.

Como foi exposto na Audiência Pública, os recursos também foram aplicados nas ações específicas do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), no Centro de Referência para População em Situação de Rua – Centro POP, que atendeu a mais de oito mil pessoas e na unidade de Acolhimento POP.

Por exemplo, como relatou Daiane Caroline, em 2017, entre as múltiplas ações da SAS, os recursos foram aplicados em auxílio funeral (46), auxílio alimentação – kits alimentação (757), auxílio natalidade (254) e custeou 542 passagens para destinos diversos, cedidas a pessoas em situação de rua.

As equipes do SAS, por meio do CRAS de referência, também possui cadastro de 74 famílias na zona rural e, em 2017, foram realizados 830 atendimentos específicos a essas famílias.

A diretora da SAS também expôs que, em 2017, a equipe do CREAS atendeu a 1.871 pessoas e a 1.250 famílias. Além disso, no atendimento específico à mulher, vítima de violência, consta o registro de 186 mulheres atendidas, “o que é muito pouco, em relação ao número de ocorrências registradas na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher – DEAM”, ressaltou Daiane Caroline.

Consta ainda no relatório da aplicação dos recursos da SAS, as despesas no serviço de acolhimento de 55 idosos e de 48 crianças e adolescentes.

Vale conferir em Anexo o Relatório Anual de Gestão e Investimentos na SAS.

APLICAÇÃO DOS RECURSOS

Esses recursos foram aplicados nas múltiplas ações das seis unidades de Centro de Referência de Assistência Social – CRAS Amélia Jorge, CRAS São João, CRAS Vila Piloto, CRAS Ruth Filgueiras, CRAS Interlagos e CRAS Ana Maria Moreira.

Como foi exposto na Audiência Pública, os recursos também foram aplicados nas ações específicas do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), no Centro de Referência para População em Situação de Rua – Centro POP, que atendeu a mais de oito mil pessoas e na unidade de Acolhimento POP.

Por exemplo, como relatou Daiane Caroline, em 2017, entre as múltiplas ações da SAS, os recursos foram aplicados em auxílio funeral (46), auxílio alimentação – kits alimentação (757), auxílio natalidade (254) e custeou 542 passagens para destinos diversos, cedidas a pessoas em situação de rua.

As equipes do SAS, por meio do CRAS de referência, também possui cadastro de 74 famílias na zona rural e, em 2017, foram realizados 830 atendimentos específicos a essas famílias.

A diretora da SAS também expôs que, em 2017, a equipe do CREAS atendeu a 1.871 pessoas e a 1.250 famílias. Além disso, no atendimento específico à mulher, vítima de violência, consta o registro de 186 mulheres atendidas, “o que é muito pouco, em relação ao número de ocorrências registradas na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher – DEAM”, ressaltou Daiane Caroline.

Consta ainda no relatório da aplicação dos recursos da SAS, as despesas no serviço de acolhimento de 55 idosos e de 48 crianças e adolescentes.

Vale conferir em Anexo o Relatório Anual de Gestão e Investimentos na SAS.

(*) Assessoria de Comunicação


A Audiência Pública teve como finalidade a prestação de contas dos recursos do Fundo Estadual de Assistência Social (Foto/Assessoria)



Comentários