26/03/2018 09h44

Azambuja aceita entregar as duas vagas de senador para os aliados

Para governador, é preciso montar um time forte e competitivo

Redação

O PSDB já admite abrir mão das duas vagas de senador em favor de novos parceiros para garantir a construção de ampla aliança na reeleição do governador Reinaldo Azambuja.

A proposta é atrair o maior número de partidos para o palanque de Azambuja. E um dos alvos dos tucanos é o MDB, que tem o ex-governador André Puccinelli como pré-candidato à sucessão estadual.

Não está afastada, portanto, a hipótese de os cardeais tucanos oferecerem uma vaga de senador para André subir ao palanque de Azambuja. Essa questão está sendo tratada com cautela dentro do partido, porque André está também de olho na cadeira do atual governador.

Em recente reunião da cúpula do partido, Azambuja questionou qual é a prioridade da sigla nas próximas eleições. Evidentemente que a resposta foi a reeleição. Em entrevista ao Correio do Estado, dias atrás, ele falou sobre as vagas majoritárias. “O PSDB precisa ter sabedoria para entender quais são as prioridades: se é a eleição para governador, então é preciso abrir espaço aos aliados”, comentou.

Esse espaço na majoritária seria a negociação das vagas de senador com os partidos consultados para participar da coligação com o PSDB. “Não é impossível numa aliança abrir mão das duas vagas de senador”, ressaltou o governador.

Essa proposta pode tirar as pretensões eleitorais dos pré-candidatos tucanos a senador – Eduardo Riedel, secretário de Governo e braço direito do governador, Marcelo Miglioli, secretário estadual de Infraestrutura, e Geraldo Rezende, deputado federal.

(*) Correio do Estado

A proposta é atrair o maior número de partidos para o palanque de Azambuja (Foto/Divulgação)

Comentários