26/08/2008 16h48 – Atualizado em 26/08/2008 16h48

Foram divulgados nesta terça-feira (26) no site G1, pelo Banco Mundial, os resultados da pesquisa que indica os níveis de pobreza no mundo, os resultados são alarmantes. Segundo a pesquisa os números são maiores do que se estimava.

Segundo o site, para a obtenção dos resultados foi usando um método novo para se estipular a linha da pobreza, considerou-se renda individual inferior a US$ 1,25 ao dia, com esse novo parâmetro a instituição concluiu que existiam 1,4 bilhão de pessoas em 2005, ou seja, 25% da população mundial são consideradas abaixo da linha da pobreza.

Com atualização e revisão dos conceitos estipulados para a obtenção das informações, que antes do novo método, consideravam miseráveis pessoas que vivem com menos de US$ 1 ao dia, o número de homens e mulheres em extrema condição de pobreza em todo mundo aumentou em 400 milhões, de acordo a pesquisa realizada pelo Banco Mundial.

Já para os países considerados de “renda média”, como o Brasil, a linha da pobreza é estipulada por pessoas que ganham menos de US$ 2 por dia. Isso significa que 2,6 bilhões de pessoas vivem com uma renda diária de menos de US$ 2, esses números são praticamente iguais pesquisa registrada em 1981.

Em uma comparação feita com os dados coletados em 1981, fica evidente uma evolução no período que 1,9 bilhões de pessoas viviam com menos de US$ 1,25 por dia, dados que equivalem a 50% da população mundial. Na metodologia antiga de pesquisa, o de US$ 1, o por dia, o número de miseráveis no mundo era de 1,5 bilhão de pessoas.

Comentários