Aconteceu nos Estados Unidos no primeiro dia de 2021. Mas podia acontecer em qualquer lugar – por isso é tão importante ficarmos atentos. Um simples gesto pode salvar a vida de alguém que não tenha como pedir ajuda.

De acordo com informações do site Orlando em Revista, no dia 1º de janeiro uma família chegou no restaurante Mrs. Potato, em Orlando para uma refeição, e um fato curioso chamou a atenção da brasileira Flaviane Carvalho, que trabalhava no local.

Todos receberam comida, menos o filho de 11 anos que acompanhava o casal. Achando que houvesse um erro no pedido, ela foi até a mesa e perguntou ao homem se estava tudo bem e ele respondeu que sim, e que o menino iria jantar em casa naquela noite. Como ela é mãe, achou estranho ser negada comida à criança, especialmente por estarem todos juntos no restaurante. Além disso, o garoto usava máscara, óculos e o capuz do casaco na cabeça, portanto não era possível ver muito de seu rosto. No entanto, ela conseguiu perceber um grande arranhão entre as sobrancelhas, e hematomas ao lado do olho e no braço.

Como o garoto estava sentado de frente para os pais, ela teve a ideia de mostrar uma mensagem escrita em um papel, sem que os adultos pudessem ver.

Bilhete que Flaviane mostrou ao garoto. “Você precisa de ajuda?”

Primeiro ela escreveu: “Are you ok?” (Você está bem?) ao que o garoto respondeu que não com a cabeça, e ela percebeu que ele estava com medo.

Logo depois, ela mostrou outro bilhete, perguntando se ele precisava de ajuda, e ele respondeu que sim acenando com a cabeça, fazendo um movimento com as braços, dando a entender que não sabia o que fazer. Foi quando Flaviane ligou para o 911 e explicou a situação. A polícia chegou em pouco tempo, prendeu a mãe e o padrasto e resgatou o garoto.

De acordo com Rafaela, proprietária do restaurante, aquele era o dia de folga de Flaviane, mas como um funcionário faltou e ela é a gerente, ela acabou o substituindo. Além disso, a família estava sentada na única mesa do local que era possível se comunicar com o garoto sem que as outras pessoas da mesa vissem. Coincidências ou não, o ato corajoso desta brasileira, que parou para prestar atenção nesta família e perceber que esta criança precisava de ajuda, fez toda a diferença!

Flaviane Carvalho, na coletiva de imprensa da polícia de Orlando

A detetive Erin Lawler revelou que ao conversar com o garoto, ele contou que apanhava do padrasto que às vezes usava uma vassoura. Ele também era pendurado de cabeça para baixo no batente de uma porta pelos tornozelos e amarrado a um carrinho de mão. Ao ser resgatado, o menino sentia muita dor, e hematomas cobriam quase todo o corpo. O padrasto e a mãe estão sendo acusados de maus tratos e negligência infantil.

Comentários