29/06/2017 16h22

Local onde restos do animal foi dispensado constantemente é depósito de lixo e carniça

Ricardo Ojeda

Não decorreu nem 24 horas do acidente que aconteceu na manhã de ontem, quarta-feira, envolvendo uma carreta com carga de bois e um veículo de passeio, na saída para São Paulo. A carreta transportava várias reses e na batida acabou tombando, situação que morreram alguns animais, presos na gaiola metálica.

Após mais de cinco horas da ocorrência, os gados foram retirados e os que estavam mortos foram doados pelo pecuarista, dono da carga aos voluntários que ajudaram na operação. Antes disso, algumas pessoas foram até o local, com facas e outros objetos cortantes para carnear os animais mortos, porém foram impedidos pela equipe de PRF que estavam controlando o transito na BR 262.

O dono da carga ofereceu o gado morto para quem ajudasse no trabalho para retirar as reses da gaiola, mas com a condição que o animal não fosse carneado naquele lugar, por se tratar de uma rodovia de grande movimento, e as carcaças não poderiam ficar exposta no local. Diante disso, os animais mortos, deveriam ser retirados e levados para outro lugar onde seriam desossados.

Ocorre, que uma carcaça foi jogada no final da Rua Jari Mercante, no bairro Jardim das Acácias próximo ao mini anel. O motorista Fernando Sgairb, passou pelo lugar e denunciou ao Perfil News. A reportagem esteve no local e registro que mal cheiro já está incomodando os moradores, como é o caso da dona de casa, Denise Dourado de Oliveira, que reclamou do odor, dizendo que o mal cheiro vai ficar insuportável até o final da tarde. Ela disse que tentou ligar para o setor responsável da prefeitura para recolher, porém a ligação não foi atendida.

Ainda de acordo com os moradores, o local onde a carcaça do animnal coi encontrada, constantemente é depósito de animais mortos e lixo.

(Foto: Ricardo Ojeda/Perfil News)

Comentários