22/08/2014 16h41 – Atualizado em 22/08/2014 16h41

A Casa da Mulher Brasileira, com previsão de inauguração em novembro deste ano, foi concebida para abrigar a rede de atendimento ao enfrentamento à violência contra a mulher em Campo Grande

Da Redação

Em reunião realizada na manhã de ontem (21), no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, o Des. Ruy Celso Barbosa Florence, coordenador da Coordenaria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar, Aparecida Gonçalves, secretária de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR), a juíza Simone Nakamatsu, da Vara Especializada da Violência Doméstica, e Tai Loschi, Subsecretária da Mulher e da Promoção da Cidadania de Mato Grosso do Sul, fizeram as tratativas da construção e implantação dos serviços referentes ao Poder Judiciário na Casa da Mulher Brasileira.

A Casa da Mulher Brasileira, com previsão de inauguração em novembro deste ano, foi concebida para abrigar a rede de atendimento ao enfrentamento à violência contra a mulher em Campo Grande, em uma estrutura de integração espacial que facilitará o acesso e o atendimento às mulheres vítimas da violência doméstica.

Na parte da tarde, no auditório da Governadoria, reuniram-se extraordinariamente a Câmara Técnica Estadual de Implementação do Pacto Nacional pelo Enfrentamento à Violência contra as Mulheres e a Comissão Estadual de Implementação do Programa “Mulher: Viver sem Violência” no Estado de Mato Grosso do Sul, a fim de chancelar as ações necessárias para assegurar e garantir o acesso ao atendimento integral e humanizado da vítima da violência doméstica.

Para Aparecida Gonçalves, a Casa da Mulher Brasileira passará a compor a rede de atendimento às mulheres em situação de violência e tem por objetivo integrar os serviços e o atendimento já existentes, de forma a evitar a revitimização e, acima de tudo, oferecer atendimento humanizado às mulheres que necessitarem.

(*)Com informação de TJMS

O espaço tem uma estrutura de integração espacial que facilitará o acesso e o atendimento às mulheres vítimas da violência doméstica (Foto: TJMS)

Comentários