27/08/2014 11h08 – Atualizado em 27/08/2014 11h08

Como polo regional, Três Lagoas é um dos destaques nos projetos desenvolvimentistas que o candidato a governador pretende colocar em prática, sem esquecer de áreas importantes como saúde, educação e segurança pública

Léo Lima e Ricardo Ojeda

A direção do Perfil News, para fugir da linha editorial das assessorias dos candidatos a governador de MS está, a partir desta publicação, divulgando entrevistas com os concorrentes. A intenção é proporcionar ao eleitor de Três Lagoas e região do Bolsão uma interação com os disputantes, no sentido de aprofundar o conhecimento destes em relação à região.

O mesmo assunto – propostas para o desenvolvimento de Três Lagoas e do Bolsão – estão sendo enviadas pelo Perfil News aos demais candidatos à majoritária (governadores), conforme determina a legislação eleitoral em atendimento a espaço na mídia.

Nesta primeira entrevista, uma importante liderança sul-mato-grossense no Congresso Nacional, o candidato do PT ao governo do Estado, Delcídio do Amaral, é o concorrente enfocado.

REGIÃO EM DESTAQUE

Enquanto senador da República, além de se destacar no cenário político brasileiro em eventos de suma importância para a vida nacional (como o caso Mensalão, entre outros), Delcídio se preocupou em demandar para Mato Grosso do Sul recursos financeiros oriundos de emendas parlamentares ou mesmo junto aos Ministérios para beneficiar a população de seu estado, alavancando sobremaneira o desenvolvimento estadual.

Uma das regiões que mais atraíram as atenções do senador foi o Bolsão Sul-mato-grossense, em especial a cidade polo de desenvolvimento, Três Lagoas. Em sendo assim, o Perfil News, contando com a colaboração decisiva da assessoria do candidato, conseguiu um material exclusivo onde Delcídio avalia sua atuação na região e suas pretensões como governador, com objetivo de proporcionar ainda mais o crescimento acelerado que se registra há pelo menos uma década.

VEJA A ENTREVISTA

Perfil News – Quais os investimentos politico-financeiros carreados pelo candidato, enquanto senador, para o Município e ao Bolsão?

Delcídio – Desde que tomei posse no Senado viabilizei para Três Lagoas R$ 11 milhões para várias obras, entre elas a pavimentação da Rua Egydio Thomé; revitalização do Balneário Municipal; recuperação de casas por conta das chuvas de 2011; a primeira etapa do Centro de Convenções , o Centro de Comercialização de Produtos Artesanais, além da instalação de energia em 400 domicílios da zona rural.

Para toda a região do Bolsão foi viabilizado pelo meu mandato um total de R$ 119 milhões.

PN – Quais os planos de governo para o desenvolvimento ainda maior da região, em especial para Três Lagoas?

DA – Três Lagoas foi o município que mais cresceu em Mato Grosso do Sul nos últimos 10 anos e esse crescimento se deu de forma bastante acelerada, o que não foi acompanhado pelos serviços públicos.

Meus compromissos com a população nas áreas de saúde, educação e segurança são:
– Construir o Hospital Regional de Três Lagoas e também um Centro de Diagnóstico com atendimento de especialidades; reabilitação, saúde da mulher e um centro de trauma e ortopedia;
– Implantar sistema de vídeo monitoramento no Centro da cidade, para coibir furtos e assaltos.
– Ampliar os quadros das Policias Militar e Civil;
– Garantir atendimento 24 hs na Delegacia da Mulher;
– Implantar nas áreas mais violentas da cidade as Unidades Móveis de Monitoramento Policial;
– Implantar o Patrulhamento Rural,
– instalar um restaurante popular no Centro da cidade para atender trabalhadores de baixa renda. A refeição custará R$ 2.

No que se refere a infraestrutura e o desenvolvimento do município e da região destaco:
– Conclusão do anel ferroviário de Três Lagoas;
– Atuar em parceria com município e governo federal para construirmos um terminal ferroviário em Três Lagoas;
– Concluir o Centro de Convenções de Três Lagoas e trazer grandes eventos para o município;
– Ampliar o sistema de saneamento do município;
– Vamos pavimentar algumas rodovias estaduais importantes como a MS – 316 que liga Costa Rica a Paraíso das Águas e MS – 223 que liga Figueirão a Costa Rica;
– Continuar atraindo empresas para região e investir em demandas de infraestrutura e logística.

Temos que colocar a nossa ferrovia em operação plena. Vamos fazer gestões junto à Agência Nacional de Transportes Terrestres e ao Ministério dos Transportes para que a América Latina Logística (ALL), que hoje administra o ramal Bauru – Corumbá comece a cumprir o cronograma de execução de recuperação do trecho.

Esse projeto já foi aprovado, está orçado em R$ 1,8 bilhão e tem prazo de execução de 24 meses.

PN – Como candidato, pela primeira vez ao Senado, o senhor afirmou que pretendia um projeto que visava eficiência à vigilância na fronteira brasileira (maior efetivo federal, equipamentos etc) para garantir a diminuição do tráfico nos grandes centros como rio e São Paulo. Agora, caso vença as eleições, como governador como vai tratar essa questão da segurança na região fronteiriça com a Bolívia e Paraguai?

DA – Minha primeira ação no Governo será de separar a gestão da segurança pública da justiça. Teremos duas pastas: Secretaria de Segurança Pública e Secretaria de Justiça e Direitos Humanos.

A nossa Secretaria de Segurança Pública será responsável pela política, o planejamento e as ações que irão inibir e reprimir a prática de crimes, além de cuidar do atendimento a incêndios e acidentes. Ela será sob sua responsabilidade a Polícia Militar, a Polícia Civil e o Corpo de Bombeiros.

Já a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos vai cuidar da administração do sistema penitenciário (AGEPEN), os direitos dos consumidores (PROCON) e a política de defesa de direitos de toda a sociedade, em especial dos índios, quilombolas, negros e das mulheres.

Em nosso programa de governo tratamos da inserção das regiões de fronteira no desenvolvimento social e econômico do Mato Grosso do Sul. São regiões precárias, até mesmo por conta do estigma da violência.

Dentre as ações para o desenvolvimento dessa região, destaco:
1 – A conclusão da pavimentação da rodovia MS 165 e da MS 299, que será uma via rápida de integração entre os municípios fronteiriços do extremo sul.
2 – Fortalecer a agricultura e a pecuária local, para ampliar a produção de mandioca, erva mate, leite, ovinos e aves na região de fronteira, atraindo a instalação de facularias e outras indústrias de beneficiamento.
3 – Na fronteira há forte presença da agricultura familiar, tanto a dos assentados nos projetos de reforma agrária, bem como da pequena agricultura tradicional e das comunidades indígenas. O problema é a falta de assistência técnica aos produtores. Vamos difundir e dar a esses pequenos produtores condição de acesso às tecnologias disponíveis e ás práticas de manejo através da atuação das áreas ligadas á extensão rural e assistência técnica, visando melhorar a produtividade e a gestão dos negócios.
4 – Na segurança pública, temos o Sistema de Monitoramento de Fronteiras (Sisfron) já em fase de testes. Ele é coordenado pelo Exército, com a participação das demais instituições de segurança pública estadual e federal (a Receita Federal, a Força Nacional etc). Além disso, estaremos reforçando o efetivo e melhor equipando o nosso DOF – Departamento de Operações de Fronteira.

Junto com o companheiro Ricardo Ayache, candidato ao Senado, Delcídio caminha sua campanha rumo ao governo de MS (Foto: Divulgação)

Em todas as cidades por onde passa, a simpatia de Delcídio atrai o eleitorado, principalmente os jovens que buscam

Um dos senadores mais atuantes no Congresso Nacional, Delcídio tem se destacado no cenário político brasileiro (Foto: Divulgação)

Delcídio já carreou R$ 11 milhões para Três Lagoas e R$ 119 milhões para o Bolsão (Foto: Arquivo)

Comentários