Atividade marcou o encerramento da 10ª Semana da Consciência Negra e, pela primeira vez, reuniu candidatos de diversos municípios do MS

A edição 2020 da Semana da Consciência Negra do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS) foi encerrada no último sábado, 21, com a premiação do V Concurso da Beleza Negra. 

O concurso reuniu 20 participantes dos municípios de Batayporã, Campo Grande, Camapuã, Dourados, Jardim, Nova Andradina, Ponta Porã e Três Lagoas. Foi a primeira vez que competição teve caráter estadual. 

Realizado virtualmente, o concurso teve início na sexta-feira, 20, com o perfil e apresentações culturais dos participantes. Com base nas notas da comissão julgadora, 12 candidatos foram para a final, no sábado. 

Para participar da competição, os estudantes tiveram que escolher referências negras – como atores, cantores, escritores, entre outras personalidades -, além de relatar casos de racismo que sofreram.

Thalita, de Jardim, foi a vencedora na categoria feminina

Segundo o professor de Sociologia do Campus Três Lagoas e coordenador do evento, Guilherme Tommaselli, já havia a intenção de atingir um número maior de participantes, e isso aconteceu graças ao formato virtual.

“Além de dar voz aos jovens negros, alguns deles de pequenos municípios do Estado, iniciativas como essa fazem com que a instituição seja vista como um local onde os negros são bem recebidos e tratados como belos, havendo espaço para a discussão da temática negra”, destaca.

O vencedor entre os homens foi Luiz Eduardo, de Dourados

Premiação – Na categoria feminina, a vencedora foi Thalita Pereira, 17, estudante da Escola Estadual Coronel Pedro José Rufino, em Jardim. Foi a primeira vez que a jovem participou de um concurso do gênero. “Estava feliz só por participar, não imaginei que fosse ganhar”, comenta.

A personalidade negra escolhida como referência por Thalita foi o músico Baco Exu do Blues.

“Cada música dele tem um significado, a dor de sofrer racismo, de ter olhos te julgando, de às vezes não poder fazer nada. Eu me identifico com essa dor, as músicas dele entram nos ouvidos e você não entende por completo, inicialmente. Então você precisa escutar de novo, e aí começam a surgir indagações, sobre você, seu modo de vida e seus pensamentos”.

Na categoria masculina, o vencedor foi Luiz Eduardo Nunes, 17, aluno da Escola Estadual Presidente Vargas, de Dourados, que assim como Thalita estreou no concurso.

“Dedico a vitória aos meus bisavós, que foram escravos e tiveram suas lutas para se encaixar na sociedade brasileira, e também a todos os irmãos pretos que já foram mortos e sofreram inúmeras injustiças”, ressalta. 

As referências de Luiz entre as personalidades negras vão de militantes da causa a heróis de desenhos animados. 

“Dois militantes fizeram uma revolução para conquistar o espaço das pessoas pretas na comunidade: Malcolm X e Martin Luther King. No meio artístico, gosto do Emicida, Iza e Beyoncé. No jornalismo tem a Maju Coutinho e o Heraldo Pereira. Nos esportes, cito a Rafaela da Silva e o Usain Bolt e entre as drags queens, a grande Vera Verão. Por fim, entre os super-heróis, a Tempestade [dos X-Men] e o Super Choque são os que mais gosto”.

Comentários