20/11/2018 08h11

O torneio foi criado em 1998 pela organização estadunidense FLL, que trabalha em prol da inspiração e do reconhecimento da ciência e da tecnologia, em parceria com o grupo Lego

Redação

Está tudo pronto! Após semanas de treinos e estudos intensos, os times das sete escolas do Sesi de Mato Grosso do Sul estão de malas prontas para embarcar rumo à Goiânia (GO), onde, nesta quinta-feira (22/11) e sexta-feira (23/11), vão disputar, nas dependências do Sesi da Vila Canaã, a etapa regional do Torneio de Robótica FLL (First Lego League). Nesta temporada do torneio, serão realizadas provas também no Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte, Bahia, São Paulo, Paraná, Pernambuco, Amazonas e Minas Gerais.

As três equipes mais bem classificadas em cada etapa regional garantirão vaga para a fase nacional do torneio, que será em 2019 de 15 a 17 de março, na cidade do Rio de Janeiro (RJ), enquanto o mundial será em abril de 2019, em Houston, nos Estados Unidos. “A rede de escolas do Sesi incentiva a participação dos nossos alunos em feiras de tecnologia e inovação, bem como nos torneios de robótica, como uma forma de estímulo constante para que estejam familiarizados e acostumados a se desafiarem a resolver problemas que existem no mundo”, afirmou a gerente de educação do Sistema Fiems, Simone Cruz.

Nesta temporada, a FLL escolheu o tema “Into Orbit – Você tem o que é preciso para ir ao espaço?”, desafiando os times a desenvolver projetos científicos que possam auxiliar astronautas durante as viagens espaciais. Além do melhor projeto, os alunos são avaliados pelos jurados do torneio em outros três critérios: desafio da mesa, quando os robôs participam de uma disputa emocionante, que envolve obstáculos e avalia o desempenho dos alunos como programadores; design do robô, em que a robustez e aparência do robô construído pelo time ganha mais pontos; e “core values”, a capacidade dos alunos de trabalhar em equipe, conviver em harmonia com os adversários e ajudar os demais.

O torneio foi criado em 1998 pela organização estadunidense FLL, que trabalha em prol da inspiração e do reconhecimento da ciência e da tecnologia, em parceria com o grupo Lego. A competição propõe que estudantes de diversos países sejam apresentados a esses temas de forma divertida, por meio da construção e da programação de robôs feitos inteiramente com peças da tecnologia Lego Mindstorm. A cada ano, a competição estimula o trabalho colaborativo, a criatividade e propõe desafios do mundo real. No Brasil, desde 2013, o Sesi é a instituição responsável pela organização das etapas regionais e da nacional, e reúne alunos da rede pública e privada de ensino de todo o país.

As equipes de MS

Abaixo os integrantes de cada uma das sete equipes das escolas do Sesi de Mato Grosso do Sul, que são formadas por alunos a partir do 6º ano do Ensino Fundamental, quando a robótica e conceitos de programação fazem parte da grade curricular, o que torna a dinâmica das provas do FLL algo natural para estudantes. Os membros dos times têm entre 9 e 16 anos de idade, um técnico, um articulador e, algumas, também contam com mentores, que podem ser um colega de escola mais experiente, um profissional que tenha conhecimento da área de programação ou até mesmo um ex-aluno que já competiu em torneios de robótica e pode auxiliar na elaboração dos projetos e no desempenho dos robôs.

(*) Assessoria de Comunicação

Comentários