03/10/2015 09h05 – Atualizado em 03/10/2015 09h05

O promotor Marcos Alex Vera, responsável pela condução das investigações da operação ‘Coffee Break’, já avisou que vai insistir com a Justiça no afastamento dos 17 vereadores suspeitos de participação na cassação do mandato do prefeito Alcides Bernal (PP). Na realidade, ele não quer ser atrapalhado durante a produção das provas que pretende apresentar em breve às autoridades e à população em geral. O trabalho continua em ritmo acelerado e será assim até a última lauda do processo em que vai nortear a sentença a ser pedida ao Judiciário.

APATIA

A um ano das eleições municipais e o quadro político na Capital segue totalmente indefinido. Nem mesmo o mais experiente dos marqueteiros é capaz de decifrar o que vai acontecer até lá. E não é por falta de candidatos ou de partidos, pois isso é o que mais se vê por aí. Até gente do interior fala em se arriscar na tentativa de gerir o segundo maior orçamento do Estado. O problema dessa indefinição está no ceticismo do eleitor, que já não acredita mais no canto da sereia. Quem quiser que venha, porém, de cara limpa e com discurso factível.

LUPA

Apesar dessa aparente indiferença do eleitor com as eleições que se aproximam, o certo é que elas vão chegar e alguém vai ter que ser eleito – com poucos ou muitos votos – para governar a cidade. Querendo ou não, essa é a nossa realidade. Fugir é renegar nossa vontade de escolher alguém democraticamente para nos representar. Por isso, é bom pensar bem antes de tomar qualquer decisão. Um erro cometido são quatro anos perdidos e problemas dobrados. Portanto, é bom ficar atento com os lobos vestidos em pele de cordeiro. Muitos são vistos todos os dias.

UNIÃO

A união institucional entre os estados que formam o Centro-Oeste do Brasil consolida a força política da região e fomenta o desenvolvimento. Esta é a avaliação do presidente da Assembleia Legislativa de MS, Junior Mochi (PMDB), que participou ontem da quarta reunião do Fórum de Governadores Brasil Central, em Campo Grande. Além do governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), o grupo reúne os chefes de Estado de Mato Grosso, Goiás, Rondônia, Tocantins e do Distrito Federal.

FÓRUM

Oficialmente, os estados se uniram no Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central, com sede em Brasília, que permite a execução de políticas públicas, além da captação de recursos e fortalecimento da atuação política do Centro-Oeste. No Distrito Federal e em Mato Grosso do Sul a aprovação do consórcio está em tramitação nas Casas Legislativas. A ideia de formar o Fórum surgiu depois de reuniões dos governadores com o ministro de Assuntos Estratégicos, Roberto Mangabeira Unger, que sugeriu a criação de um grupo no Centro-Oeste.

Comentários