23/10/2015 17h31 – Atualizado em 23/10/2015 17h31

Equipes compostas de 16 empresas integram o PAM (Plano de Auxílio Mútuo), que passam auxiliar o Corpo de Bombeiros em caso de acidentes de grandes proporções

Patricia Miranda

Através do PAM (Plano de Auxílio Mútuo), o Corpo se Bombeiros de Três Lagoas simulou acidente envolvendo um caminhão tanque com produtos químicos e um ônibus escolar na manhã desta sexta-feira (23) em frente à sede do 5º Grupamento de Bombeiros Militares.

O atendimento às vítimas foi prestado por equipes do Corpo de Bombeiros e de seguranças, totalizando 16 componentes, que fazem parte do PAM. “O PAM teve início no final de 2013 e envolve diversas empresas, inclusive no ramo industrial e tem como função a troca de experiências. Temos somente bônus e não ônus, as empresas nos apoiam e no final todos ganham”, disse o comandante tenente coronel do 5º Grupamento de Bombeiros Militares, Marcelo Olassar Ramires Dias.

IMPORTÂNCIA DA COOPERAÇÃO

O coordenador do PAM, Milton Machado, que também é coordenador da área de saúde médica do trabalho da Fibria, disse que é importante a cooperação das empresas, caso incidentes aconteçam. “As empresas devem se organizar para um bem comum: a sociedade. Caso o pior ocorra, os envolvidos no PAM possam ofertar recursos materiais e ajuda necessária”.

No total, 29 pessoas realizaram o curso de formação do PAM e são colaboradores da iniciativa privada e órgãos públicos, que estão aptos a prestarem socorro.

“É importante falarmos a mesma língua, diante de uma ação conjunta, para haver compreensão e como se portar. O curso visa trabalhar a sinergia das empresas e responder a um único comando.

NOÇÃO DO PERIGO

Em três anos, podemos garantir que dentro das empresas teremos pessoas treinadas, quando forem acionadas. Três Lagoas está muito à frente de outros municípios, as pessoas estão começando a ter a noção do perigo e as empresas já entenderam essa preocupação”, explicou o comandante Olassar.

O PAM é composto pelas empresas Fibria, International Paper, Petrobras – Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (Fafen – MS), Usina Termelétrica Luís Carlos Prestes (UTE – LCP), Siderúrgica Três Lagoas (Sitrel), White Martins, Akzo Nobel, Omya, Eldorado Brasil, Metal Frio e Cargill. Conta com o apoio de instituições como Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Instituto de Meio Ambiente do Mato Grosso do Sul (Imasul), Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar e a Prefeitura Municipal de Três Lagoas.

SIMULADO DE EMERGÊNCIA

Foi demonstrado um cenário de colisão, entre dois veículos, um caminhão que carregava produtos químicos e um ônibus escolar que transportava crianças, no qual houve feridos.

As equipes foram prestar os atendimentos de forma cuidadosa a fim de socorrer as vítimas. Cada procedimento foi seguido segundo as instruções, deste a chegada até a remoção dos envolvidos. Os alunos tiveram que demonstrar o que aprenderam durante o curso.

Foi demonstrado um cenário de colisão, entre dois veículos, um caminhão que carregava produtos químicos e um ônibus escolar que transportava crianças, no qual houve feridos (Fotos: Ricardo Ojeda)

Durante a simulação, o atendimento às vítimas foi prestado por equipes do Corpo de Bombeiros e de seguranças, totalizando 16 componentes (Foto: Ricardo Ojeda)

Crianças que estavam em um ônibus escolar simularam o acidente (Foto: Ricardo Ojeda)

Comentários