10/11/2015 11h38 – Atualizado em 10/11/2015 11h38

O município poderá ser atingido com o corte proposto pelo relator-geral do Orçamento da Câmara dos Deputados. Os beneficiados pelo programa em Três Lagoas recebem cerca de R$ 613 mil mensalmente

Patrícia Miranda

O Programa Bolsa Família (PBF) foi criado em 20 de outubro de 2003, no então governo Luiz Inácio Lula da Silva. É um programa de transferência de renda que beneficia famílias pobres e extremamente pobres, inscritas no Cadastro Único e incentiva a frequência escolar.

Em matéria divulgada ontem (09) pelo Portal de Notícias Veja.com, o deputado Ricardo Barros (PP- PR), relator-geral do Orçamento de 2016, propôs um corte de R$ 10 bilhões no orçamento do programa “Bolsa Família”. O principal motivo seria a forte crise econômica que o país enfrenta e uma das soluções seria uma “tesourada” no principal programa social do governo petista, em que reduziria os gastos.

No Brasil são atualmente 47,8 milhões de beneficiados e segundo o governo 23,2 milhões seriam excluídos do programa. O corte corresponderia a 35% dos 28,8 bilhões de verba destinada exclusivamente para o “Bolsa Família”, com isso 11,35% da população brasileira seria afetada.

TRÊS LAGOAS

Em Três Lagoas, segundo a Assessoria de Imprensa da Prefeitura, o total de famílias inscritas no Cadastro Único em setembro de 2015 era de 18.729 dentre as quais: 4.097 com renda per capita familiar de até R$77,00; 2.576 com renda per capita familiar entre R$77,00 e R$ 154,00; 5.944 com renda per capita familiar entre R$ 154,00 e meio salário mínimo e 6.112 com renda per capita acima de meio salário mínimo.

O programa beneficiou, somente no mês de setembro de 2015, 3.903 famílias, representando uma cobertura de 110,9 % da estimativa de famílias pobres no município. As famílias três-lagoenses recebem benefícios com valor médio de R$ 156,95 e o valor total transferido pelo governo federal em benefícios alcançaram R$ 612.557,00 no mês.

ACOMPANHAMENTO ESCOLAR

Em relação ao acompanhamento da frequência escolar, com base no bimestre de junho de 2015, foi atingido o percentual de 91,2%, para crianças e adolescentes entre 6 e 15 anos, o que equivale a 3.556 alunos acompanhados em relação ao público no perfil equivalente a 3.898.

Para os jovens entre 16 e 17 anos, o percentual atingido foi de 82,0%, resultando em 582 jovens acompanhados de um total de 710.

SAÚDE

Já o acompanhamento da saúde das famílias, na vigência de junho de 2015, atingiu 42,1 %, percentual equivale a 1.392 famílias de um total de 3.307 que compunham o público no perfil para acompanhamento da área de saúde do município.

Vale lembrar que não há informação de que o programa será cortado, e por enquanto os pagamentos seguem normalmente. Entretanto caso a proposta do relator seja acatada, o corte atingirá além de Três Lagoas, famílias de todos os municípios do Brasil.

No Brasil são atualmente 47,8 milhões de beneficiados e segundo o governo 23,2 milhões seriam excluídos do programa, para reduzir os gastos do governo. (Foto: Divulgação)

Comentários