03/10/2013 16h49 – Atualizado em 03/10/2013 16h49

Curso de Medicina em Três Lagoas é discutido em Seminário

Na implantação, consta a discussão e apresentação de propostas para adequar nova Faculdade, não só à formação de especialistas, mas também às necessidades de atenção básica à saúde pública

Da Redação

A prefeita Marcia Moura (PMDB) esteve na Unidade II da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Campus Três Lagoas, onde participou da abertura de Seminário de estudos da implantação do Curso de Medicina, na manhã desta quinta-feira (3).

O objetivo do Seminário, promovido pela Reitoria da UFMS, seguindo as orientações e normas do Ministério da Educação (MEC), é a discussão do processo de implantação do Curso Superior de Medicina em Três Lagoas, previsto para iniciar no primeiro semestre de 2014.

O Seminário, coordenado pelo vice-reitor da UFMS, professor doutor João Ricardo Filgueiras Tognini, contou também com a presença da professora Valéria Goes Ferreira Pinheiro, como representante e assessora do MEC, na função de implantação do Programa de Expansão de Novos Cursos Superiores no Brasil; diretor do Campus Três Lagoas da UFMS, professor doutor José Antônio Menoni; diretor designado para coordenar o processo de implantação do Curso de Medicina em Três Lagoas, professor Juliano Yasuo Oda; vereadora Sirlene da Saúde (PRB), como representante da Câmara Municipal; e Karine Cavalcante da Costa, da Coordenadoria Estadual de Atenção Básica, e a enfermeira Polyana Rossino Cestari, coordenadora municipal de Atenção Básica, representando a secretária de Saúde de Três Lagoas, Eliane Brilhante.

ATENÇÃO BÁSICA

Ao agradecer a presença da prefeita Marcia Moura e sua participação ativa no processo de criação da Faculdade de Medicina em Três Lagoas, o professor João Ricardo destacou a importância do Seminário, agora, “neste processo de implantação do novo curso”, disse.

A proposta do MEC e da política nacional de Educação é que “se dê ênfase, nos novos Cursos de Medicina no Brasil, à formação de futuros médicos, com nova mentalidade e novos rumos profissionais, voltados para a atenção básica de saúde. Para isso, vamos discutir as formas de melhor adequar o Curso de Medicina de Três Lagoas, não só concentrado a ensinar a tratar de doenças e formação de especialistas, mas alicerçar o novo curso na estrutura funcional e necessidades da Rede Pública de Saúde, com o objetivo específico de formação de futuros médicos, engajados e envolvidos na solução das necessidades da população local e da Região”, observou o vice-reitor da UFMS.

Essa mesma opinião foi partilhada pela professora Valéria Goes (assessora do MEC). Para ela, o Curso de Medicina deve estar engajado e a par das primordiais necessidades da população de Três Lagoas e Região.

Ela citou como exemplo a expansão industrial que vive o Município. “Precisamos também explorar a Medicina do Trabalho, buscar parcerias com as Indústrias, ver o que essas indústrias precisam e o que a Cidade tem a oferecer na atenção à saúde”, ressaltou a professora Valéria.

MARCO DO DESENVOLVIMENTO

A prefeita Marcia Moura destacou que a implantação da Faculdade de Medicina é “um marco, muito importante para o desenvolvimento de Três Lagoas e Região”, disse. A criação e implantação do Curso de Medicina na UFMS “começou há um tempo como um sonho que deu certo e que muitos benefícios traz para a nossa população”, ressaltou.

“A Cidade cresce com a vinda de indústrias e a oferta de novos empregos. Com isso aumentam as necessidades de suprirmos a atenção básica de saúde da nossa população. Temos certeza e confiança de que o Curso de Medicina de Três Lagoas estará inserido na solução das necessidades da nossa Rede Pública de Saúde”, observou.

“Como prefeita e como professora da UFMS, não poderia deixar de apoiar, acompanhar e participar deste importante processo de implantação do Curso de Medicina em Três Lagoas”, completou a prefeita.

O seminário começou com a exposição da enfermeira Polyana sobre a estrutura funcional dos Serviços de Saúde de Três Lagoas, desde a Atenção Básica, Especialidades, Urgência e Emergência, Vigilância em Saúde e até os projetos em andamento de novas Unidades (UPA, Clínica do Idoso e UTI Neonatal, entre outras).

“Já visitei algumas das Unidades de Saúde de Três Lagoas, junto com alguns membros da comissão. Ficamos encantados com a estrutura física da Secretaria Municipal de Saúde e isso será de extrema importância para o processo de implantação do Curso de Medicina”, observou o vice-reitor da UFMS.

(*)Com informações de Assecom Prefeitura de Três Lagoas

Comentários