01/09/2017 09h33

Degola

Louvável o discernimento do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e também do diretor-geral do Detran-MS, Gerson Claro, em antecipar o pedido de exoneração de toda a diretoria do órgão suspeita em prática de atos ilícitos, conforme investigação do Gaeco. Sem entrar no mérito da questão, o gesto é importante para que o MPE-MS conclua a apuração dos fatos. Se há culpados ou não, só o tempo dirá.

Vírus

A investigação do Gaeco começou a apurar a existência de organização criminosa voltada à prática dos crimes de corrupção ativa e passiva, fraude em licitação, peculato, organização criminosa e lavagem de dinheiro, em 2015. Foram analisados contratos celebrados entre empresas da área de tecnologia da informação e o Poder Público estadual.

Dedo

O ex-presidente da Assembleia Legislativa, ex-deputado Ary Rigo também foi preso temporariamente por suspeita de prática dos crimes de organização criminosa, lavagem de dinheiro e corrupção. Segundo a investigação, ele teria ligação com a empresa Digithobrasil, com nome fantasia Digix.

Remendo

O ex-prefeito de Nova Andradina Roberto Hashioka (PSDB) deve assumir a presidência do Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito) de Mato Grosso do Sul, segundo a assessoria do governo de Mato Grosso do Sul.

Trajetória

Filiado ao PSDB, Hashioka já foi deputado estadual e disputou a reeleição em 2016, mas perdeu para Gilberto Garcia (PR) por 27 votos de diferença. Em fevereiro deste ano, o juiz eleitoral José Henrique Kaster Franco, da 5ª Zona Eleitoral, anulou a eleição e determinou novo pleito. Conforme o magistrado, Garcia eram beneficiado com as inserções das propagandas eleitorais no rádio em períodos sabidamente de maior audiência, em detrimento aos adversários.

Comentários