25/04/2014 08h58 – Atualizado em 25/04/2014 08h58

A cobrança de taxa de participação no Congresso teria motivado a determinação do Ministério Público e exigir a mudança do local

Léo Lima

O presidente da Câmara Municipal de Três Lagoas, Jorginho do Gas, revelou na abertura do Congresso Estadual que congrega quase 200 parlamentares municipais em reunião regional no Bolsão Sul-mato-grossense, que uma denúncia anônima feita ao Ministério Público Estadual forçou a mudança do local do evento, que deveria acontecer nas dependências da Casa de Leis três-lagoense, para o Hotel OT.

Jorginho do Gas adiantou que o MP considerou que a Câmara de Três Lagoas é um local público e como o Congresso exige contribuição financeira dos participantes (no caso vereadores, diretores, secretários, servidores efetivos ou em comissão, assessores jurídicos, de bancadas, parlamentares, prefeitos e representantes de sindicatos e associações)não pode ser palco de eventos com cobrança para acesso.

Conforme consta no convite da União das Câmaras de Vereadores de Mato Grosso do Sul (UCVMS), para participar do Congresso o interessado tem que pagar um depósito em nome da entidade, no valor de R$ 180.

Comentários