05/12/2018 13h57

Órgão oficializou o aumento para os procuradores nesta terça-feira (4), fixando o teto salarial do órgão fiscal da lei em R$ 35.462,22

Redação

Um dia depois que o MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) oficializou o aumento para os procuradores, fixando o teto salarial do órgão fiscal da lei em R$ 35.462,22, reajuste dos servidores foi promulgado pela Assembleia Legislativa.

Conforme publicado no Diário Oficial do Estado, funcionários terão acréscimo de 2,6% na remuneração mensal. Já procuradores tiveram aumento de 16% – R$ 4.991,11 a mais se levado em conta o salário-base da categoria, que é de R$ 30.471,11.

Em agosto deste ano, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) vetou reajuste de 5% aos servidores Ministério Público, conforme divulgado no Diário Oficial do Estado do dia 1º daquele mês.

A justificativa, segundo a publicação, foi que não se pode conceder reajuste acima da inflação em ano eleitoral, como é o caso de 2018. Regra eleitoral impede que a medida seja sancionada pelo governo entre os seis meses que antecedem o pleito eleitoral até a posse dos eleitos.

Mais aumentos

Além dos como os procuradores de Justiça, os defensores públicos estaduais de segunda instância –o topo da carreira– também decidiram aumentar os próprios salários, pegando carona com o STF (Supremo Tribunal Federal).

O Senado liberou o aumento para os ministros do Supremo, que têm o ganho máximo no funcionalismo público brasileiro, no dia 7 de novembro. O valor a ser pago aos procuradores e defensores será o mesmo: R$ 35.462,22, ou 90% do que ganhará um integrante do STF (R$ 39.293,32).

(*) Campo Grande News

Prédio onde funcionam algumas promotorias do MPMS em Campo Grande (Foto: Paulo Francis/Arquivo)

Comentários