27/03/2012 07h49 – Atualizado em 27/03/2012 07h49

Exames de ingressos à carreira militar devem ser mais rigorosos

Projeto do deputado George Takimoto assegura capacitação emocional de profissionais da carreira militar.

Edmir Conceição

Policiais Militares e o Corpo de Bombeiros Militar do Estado deverão ser submetidos a exames de aptidão mental e de saúde por meio de Junta Médica Especial. A exigência consta no projeto de lei de autoria do deputado George Takimoto (PSL).

A proposta abrange militares aprovados em concurso público para ingressar no Curso de Formação de Carreiras de Oficiais e Praças da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar. Conforme o texto, os candidatos terão que passar por Juntas de Inspeção de Saúde Militar ou por Junta Médica Especial, constituídas por médicos psiquiatra, neurologista, cardiologista, ortopedista, odontólogos, psicólogos e clínico-geral.

O projeto prevê ainda a exigência da tomografia computadorizada de crânio para identificação de patologias clínicas neurológicas como deformações, hematoma cerebral latente, tumor cerebral e hipertensão cerebral.

De acordo com o autor da proposta, o objetivo é assegurar a saúde mental dos profissionais responsáveis pela segurança da população. A iniciativa, afirma o deputado, partiu de discussões em audiência pública promovida em novembro de 2011 na Assembleia Legislativa. Na ocasião, foi constatada a necessidade da participação de médicos psiquiatras e neurologistas nas avaliações médicas e a realização dos exames tomográficos.

A preocupação, segundo Takimoto, é o grande número de casos de policiais militares e bombeiros militares envolvidos em ocorrências desastrosas, por possuírem incapacidade psíquica para o exercício da função.

Além dos exames antidoping, acesso a carreira militar pode exigir exame psiquiátrico.

Comentários