03/04/2014 16h55 – Atualizado em 03/04/2014 16h55

O evento é voltado para produtores, profissionais do setor rural, acadêmicos e interessados em geral

Da Redação

Recuperação de áreas degradas, diversificação de renda, profissionalização da gestão e aumento da produtividade são os benefícios proporcionados pelo Sistema São Mateus (SSMateus). Para apresentar detalhes sobre esse Sistema, que pode contribuir diretamente com a melhoria da produtividade da região do Bolsão,acontece nessa sexta-feira, 4 de abril, das 7h30 às 12h, na fazenda São Mateus, o 6º Dia de Campo Sistema São Mateus. O evento é voltado para produtores, profissionais do setor rural, acadêmicos e interessados em geral.

O SSMateus, desenvolvido pela Embrapa Agropecuária Oeste e Embrapa Gado de Corte, em parceria com a fazenda São Mateus, consiste na utilização do sistema de integração lavoura e pecuária (iLP), em cultivo rotacionado de pastagem e soja, proporcionando maiores possibilidades de sucesso com a produção de soja e efetivo aumento da produção pecuária, mesmo em áreas de solos arenosos, como é o caso da região do Bolsão.

O pesquisador da Embrapa Agropecuária Oeste, Julio Cesar Salton, explica que esse trabalho objetiva tornar a atividade agropecuária sustentável de forma a manter ou melhorar a produção, com vantagens econômicas para os produtores rurais, sem prejuízos ao meio ambiente e em beneficio a toda sociedade. “Os resultados obtidos com o uso do SSMateus são positivos e quanto mais produtores implantarem o Sistema, melhor será a qualidade do solo da região. Estou satisfeito, pois o número de produtores que utilizam essa tecnologia na região está aumentando”, comemora Salton.

É o caso de Cristiane Narimatsu, gestora da fazenda Periquitos, que há um ano e meio está se dedicando a implantação do SSMateus. Para safra 2013/2014, o Sistema foi implantado em 200 hectares, com expansão para 350 hectares na safra 2014/2015. Segundo ela, a produtividade ainda é modesta, mais economicamente viável. Cristiane comemora o ganho ambiental. “Além da recuperação de pastos degradados e a utilização de técnicas mais modernas de recuperação do solo, os resultados iniciais já despertaram o interesse em ampliar para a pecuária como uma estratégia mais intensiva de correção do solo e adubação. É a mudança da visão de ‘pecuarista’ para ‘agricultor'”, disse ela.

O pesquisador da Embrapa Gado de Corte, Ademir Zimmer, também está satisfeito com os resultados obtidos por meio da avaliação de desempenho dos animais,com bons ganhos de peso e boas condições das pastagens recuperadas com a cultura da soja. Estas pastagens além de proporcionar um melhor desempenho animal apresentam boa cobertura, melhoria nas condições física do solo.

Mateus Arantes, proprietário da fazenda São Mateus, que há seis anos apoia as pesquisas e utiliza o sistema em sua propriedade se diz muito satisfeito com os resultados obtidos até o momento. “Precisamos mudar a forma de fazer agricultura em regiões de terras baixas, de pouca fertilidade e pouca chuva. A utilização de sistemas integrados, como a iLP, nesta região tem se mostrado uma excelente alternativa para o produtor. Mas, é preciso mudar a forma de pensar do pecuarista, que também passará a ser um agricultor, implicando em capacitação, investimentos e mudanças na rotina de uma fazenda tradicional”, destaca ele.

O evento é uma realização da Embrapa Agropecuária Oeste, Embrapa Gado de Corte e fazenda São Mateus e conta com apoio do Sindicato Rural de Três, Lagoas, Famasul, Insaltec, Fertipar,Soesp, Seiva/John Deere,Designer Genes Technologies (DGT), Seprotur/Fundems.

(*) Com informações de Assecom Sindicato Rural

O evento é voltado para produtores, profissionais do setor rural, acadêmicos e interessados em geral (Foto: Divulgação/Assecom)

Comentários