Cidade é uma das que estão com melhor controle da doença e não ainda não enfrentam problemas significativos com ocupação de leitos; mais da metade do estado está na faixa vermelha

Três Lagoas é uma das quatro cidades do estado que está na faixa amarela do programa Prosseguir, ferramenta do Governo do Estado que classifica os municípios em faixas de cores, de acordo com o grau de risco que cada cidade apresenta (de baixo a extremo).

A cidade também é a única entre as sede de macrorregiões nesta faixa de risco. O novo mapa foi divulgado nesta quarta-feira (9) – e preocupa as autoridades devido ao expressivo aumento de municípios na faixa vermelha no período: o número quase dobrou, de 26 para 45.

Com relação à última divulgação (48ª semana), 42 municípios mantiveram, apenas 7 municípios melhoraram e 30 municípios regrediram no grau de risco. A piora dos indicadores tem sido motivo de grande preocupação do governo estadual, conforme explicou o secretário de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel: “Tivemos uma grande regressão no grau de risco em virtude dos indicadores mais preocupantes neste momento que são: o aumento dos casos, de óbitos e redução de leitos disponíveis. Isso exige do governo um esforço muito grande para ampliação e nos causa muita preocupação. Por isso pedimos o máximo de consciência da população, que evitem situações de risco, e reforçamos que estamos trabalhando fortemente no sentido de viabilizar a vacina. Temos orçamento para compra e assim que tivermos oportunidade vamos adquiri-la para atender à nossa população. Neste meio tempo o mais importante é que as pessoas se cuidem e tenham consciência para cuidar do coletivo”. 

Mapa Situacional

O mapa situacional das quatro macrorregiões de Saúde (Corumbá, Campo Grande, Três Lagoas e Dourados), referente à 49ª Semana Epidemiológica (de 29/11 a 5/12), apresenta 4 municípios na faixa de risco tolerável (amarela), 27 municípios no grau médio (bandeira laranja), 45 no grau de risco alto (bandeira vermelha) e três na faixa de risco extremo (bandeira cinza): Amambai, Dois Irmãos do Buriti e Naviraí.

Para gerar essa classificação, o programa avalia indicadores municipais relacionados à disponibilidade de leitos de UTI, quantidade de Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s), busca por contatos de casos confirmados, redução da mortalidade por Covid-19, disponibilidade de testes, incidência na população indígena, redução de casos entre profissionais da saúde, redução de novos casos, necessidade de expansão de leitos e situação de fronteira com país ou divisa com Estado que tenha aumento de casos.

Os mapas situacionais atualizadosrecomendações para os municípios e a distribuição das atividades econômicas por faixa de risco, estão disponíveis no site www.coronavirus.ms.gov.br (link prosseguir).

Comentários