08/02/2013 16h09 – Atualizado em 08/02/2013 16h09

É preocupante perceber o quanto somos despreparados para catástrofes

Nosso Distrito Industrial tem uma segurança ridícula e muitas empresas nunca ouviram falar em Planos de Proteção à Incêndio

Antonio Carlos Garcia de Oliveira

Estava pensando numa hipotética ocorrência de um acidente desses que aconteceu em Santa Maria aqui em Três Lagoas. Não, vamos pensar que tivéssemos 1/3 dos feridos e demais por aqui, como por exemplo, se pegar fogo num edifício com mais de 03 andares. Qual estrutura teria a nossa cidade para amparar mortos e feridos num acidente das proporções citadas? Primeiro que não teria ambulâncias suficientes para tanta gente. Segundo que as Unidades de Terapia Intensiva não comportam mais ninguém. Terceiro que tanto Defesa Civil nem Bombeiros teriam a condição de atender a cem por cento da necessidade em relação a um acidente desses. Quarto que não teria médicos, e nem capacitados para zelar dos pacientes entubados com cianeto nos bronquíolos. Conclusão: caos total. Porque temos que conviver desta forma no país?

A pergunta é fácil de responder principalmente ao perceber que temos bilhões para reformar estádios (corrupção), que após a copa do mundo serão utilizados por times inexpressivos, mas não temos veículos adequados e nem medicamentos para atender as pessoas. É preocupante perceber o quanto somos despreparados para catástrofes, grandes acidentes, etc.

Outro dia aconteceu de uma locomotiva atropelar um caminhão alí na BR 262, e uma autoridade no local me perguntar: “e agora o que faremos”?. Para nossa sorte até hoje não aconteceu coisa pior. Temos uma estação ferroviária onde às vezes estacionam mais de 50 vagões carregados de gasolina e diesel e ninguém ainda deu conta do risco disso.

Nosso Distrito Industrial tem uma segurança ridícula e muitas empresas nunca ouviram falar em Planos de Proteção à Incêndio. E o aeroporto que não demora muito vai ter grandes aeronaves decolando e pousando todos os dias, já pensaram nisso. Já colocamos mais de 40 mil pessoas em shows sem perceber o quanto isso é arriscado. Lembram de Jaguariúna? Então, é momento de se pensar em preparar melhor, fiscalizar mais, perceber melhor as coisas, agir com prevenção, porque depois, por mais que se faça, a culpa é sempre do proprietário ou do organizador, enquanto os outros… .

Antonio Carlos

(Promotor de justiça)

Comentários