27/04/2013 08h58 – Atualizado em 27/04/2013 08h58

Em MS, mais de 100 mil deixam para última hora declaração do IR

Número é referente a pessoas físicas; prazo se encerra na terça-feira. Pelo menos 220 mil já fizeram a declaração, segundo dados da Receita.

Da Redação

Mais de 100 mil sul-mato-grossenses vão deixar para os últimos dias a declaração do Imposto de Renda de Pessoas Físicas neste ano, segundo estimativa divulgada pela Receita Federal em Campo Grande nesta sexta-feira (26). O número corresponde a 35% do total de contribuintes que devem declarar. O prazo vai até as 23h (de MS) da próxima terça-feira (30). Quem descumprir pode ter o CPF bloqueado, além de estar sujeito à multa mínima de R$ 165,74, limitada a 20% do imposto devido.

Conforme dados do órgão, pelo menos 220 mil pessoas físicas no estado fizeram a declaração. O supervisor do programa de IR, Antônio César, afirmou que a recomendação de que o procedimento seja feito com antecedência ocorre por conta do “congestionamento” no site do órgão nos últimos dias de prazo. Ele disse que geralmente, neste período, são feitas cerca de dois milhões de declarações por dia no país.

De acordo com dados do delegado da Receita em Campo Grande, Flávio Cunha, são dois milhões de CPFs ativos em Mato Grosso do Sul. Do número, segundo ele, 1,6 milhão não precisam declarar. E entre os que ainda não declararam, cerca de 10 mil caem na chamada “Malha Fina”, cujas declarações, em sua maioria, têm indícios de infrações praticadas na Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física (DIRPF).

Segundo informações da Receita, mais de mil contribuintes da “Malha Fina” já foram intimados. No ano passado, foram revisadas mais de 3 mil declarações com crédito tributário lançado de R$ 22 milhões. O crédito tributário lançado em Pessoa Física no estado em 2012 foi de R$ 69,4 milhões, sendo que o crédito tributário médio foi de R$ 12,7 mil. No ano passado, o número de pessoas físicas fiscalizadas foi de 5,4 mil.

ERROS COMUNS

Supervisor da equipe de malhas da Receita, Gilson Ishikawa afirmou que entre os principais erros cometidos na declaração estão nos informes de despesa médica, previdência privada e rendimentos recebidos acumuladamente. Já o chefe de fiscalização do órgão, Marcos André, acrescentou a omissão de rendimento como outra falha comum.

Para eles, os erros são cometidos por diversos motivos, entre eles, descuido, desatenção e desconhecimento das informações. Ishikawa afirma que o contribuinte pode enviar a declaração antes do prazo e fazer retificações, caso necessário, sem pagar multa, que só é gerada a partir do momento em que o cidadão é notificado a retificar.

OPERAÇÕES

A Delegacia de Receita Federal de Campo Grande também divulgou dados das operações “Malha 12” e “No Limite”, deflagradas em agosto do ano passado e que terão continuidade este ano.

Conforme os números, até agora, mais de R$ 8 milhões foram recuperados no estado em decorrência da fiscalização em 410 declarações na operação “Malha 12”. O terceiro lote de intimações começou a ser enviado em março. A operação “No Limite” já iniciou a segunda fase do primeiro lote de intimações a contribuintes que ainda não retificaram declarações entre 2009 e 2012.

(*) Com informações de G1 MS

O número corresponde a 35% do total de contribuintes que devem declarar (Foto: Arquivo)

Comentários