Fábrica do Projeto Jubarte deve ser a maior do mundo em produtividade, porém antes deve passar por estudos de viabilidade técnica-econômica e de detalhamento para implantação

Com aproximadamente 25 mil habitantes o município de Ribas do Rio Pardo destaca-se economicamente na pecuária, agricultura e silvicultura. Em breve será também como um importante polo produtor de celulose (Foto: All Drone’s)

A população de Ribas do Rio Pardo, município de aproximadamente 25 mil habitantes, há anos esperava a notícia da retomada da fábrica de celulose. Desde julho de 2014, quando aconteceu a Audiência Pública para debater os impactos da obra, a notícia da construção era aguardada com muita ansiedade pelos moradores, porém uma série de fatores de ordem econômica fizeram os planos para implantação do projeto serem adiados consecutivamente.

A boa notícia foi divulgada em dezembro de 2019, quando a Suzano surpreendeu o mercado ao anunciar a compra de 106 mil hectares de terra e a licença ambiental para construção de uma fábrica de celulose em Ribas do Rio Pardo. Com a efetivação da negociação, a Suzano consolidaria sua liderança no mercado global na produção de celulose tão logo o projeto fosse concluído.

Veja o projeto na íntegra no arquivo abaixo:

COMUNICADO OFICIAL DA SUZANO

Decorridos aproximadamente 14 meses depois da negociação, a Suzano informou por meio de nota ao Perfil News que iniciou as medições de área necessárias para continuidade dos estudos de viabilidade técnica-econômica e de detalhamento para implantação de uma nova fábrica no município de Ribas do Rio Pardo (MS) que, tão logo sejam finalizados, serão submetidos para validação do Conselho de Administração da empresa.

Conforme o comunicado da assessoria de comunicação da Suzano, “tais medições contemplam o levantamento topográfico e planialtimétrico, processos esses que já foram devidamente aprovados pelo Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul). Esclarecemos, ainda, que a Suzano mantém constante avaliação de oportunidades de crescimento e geração de valor, de acordo com o cenário de mercado.”

De acordo com o site “visãogeo” o Levantamento Planialtimétrico é uma descrição documentada do terreno em todos os seus detalhes. Trata-se da união do Levantamento Altimétrico com o Levantamento Planimétrico. Nele, são descritas de maneira precisa as diferenças de nível entre as partes do terreno, os ângulos e as medidas planas. O perímetro e as dimensões horizontais também estão descritos, além da posição real do norte.

Área onde será construída a fábrica de celulose está ocorrendo uma supressão vegetal para possibilitar a leitura dos aparelhos que fazem a medição do terreno (Foto: All Dronne´s)

SUPRESSÃO VEGETAL

Como no local havia um pequeno maciço florestal que impedia a mirada livre (visão) dos equipamentos de medição, os técnicos estão fazendo uma supressão vegetal na área a fim de possibilitar a medição do terreno que será feita por uma empresa especializada com equipe técnica que utilizaram equipamentos de precisão específicos. De outro modo, um simples erro nesse tipo de levantamento pode pôr todo um projeto em xeque, o que muitas vezes gera prejuízos ao projeto.

Para essa atividade as licenças ambientais foram expedidas pelos órgãos competentes do município e do Estado.

A história do desenvolvimento econômico de Ribas do Rio Pardo terá um novo capítulo a partir do início da construção da fábrica de celulose da Suzano (Foto: All Dronne´s)

CRONOGRAMA

Conforme divulgado pelo prefeito de Ribas do Rio Pardo durante Sessão Solene na Câmara Municipal, as obras do projeto seriam iniciadas ainda em março deste ano e o projeto estaria previsto para inaugurar em 2024. Porém, ainda segundo a assessoria de imprensa, a Suzano não adiantou nenhuma informação que correspondesse ao discurso do prefeito.

Entretanto, ainda é fevereiro e já existe movimentação de máquinas na área. Quanto ao cronograma, o posicionamento oficial será divulgado pela empresa tão logo tenha em mãos os resultados dos estudos de viabilidade técnica e econômica do Projeto Jubarte, nome escolhido numa alusão a um dos maiores mamíferos do mundo, a baleia Jubarte, assim como a fábrica será a maior do mundo na produção de celulose, com capacidade de 2,2 milhões de toneladas de celulose por ano.

Comentários