A iniciativa também visa melhorar a capacidade de comunicação e relacionamentos interpessoais

Reeducandas do Estabelecimento Penal Feminino de Três Lagoas (EPFTL) estão participando de um “Grupo de Escuta Terapêutica”, que tem como objetivo potencializar o crescimento pessoal e fortalecimento de vínculos que auxiliem as mulheres encarceradas na resolução de problemas.

De acordo com a diretora do EPFTL, Leonice Rocha Guarini, a iniciativa também visa aumentar o conhecimento e a compreensão sobre os problemas em comum, melhorar a capacidade de comunicação e relacionamentos interpessoais.

O trabalho oferece escuta ativa, sem julgamentos, no sentido de levar apoio emocional, com foco na melhoria da autoestima.

“Esse tipo de atividade terapêutica sempre foi incentivada pela direção da unidade, e agora temos um sonho de estar realizando, pois ajuda a dirimir os conflitos internos, como também prepara as reeducandas para a vida egressa”, destaca a psicóloga Silvia Lemos de Freitas, responsável pelo projeto.

Os encontros tiveram início este mês e ocorrerão semanalmente, com a realização de dinâmicas e abordagem de temas importantes como família, filhos, projetos de vida, autoconhecimento entre outros.

MS.GOV

Comentários