18/04/2013 16h12 – Atualizado em 18/04/2013 16h12

Pesquisador Ademir Hugo Zimmer admite que as florestas necessitam de mais pesquisas

Da Redação

O pesquisador Ademir Hugo Zimmer, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Gado de Corte, abordou o tema sobre Manejo na Integração Lavoura, Pecuária e Floresta (ILPF), com o foco voltado para a recuperação de solos e pastagens degradadas. “Gesso, calcário são bons para corrigir o solo, junto com a utilização de boas sementes”, frisou.

Para ele, não se pode misturar semente com adubo, com cuidados especiais na profundidade de semeadura. “As culturas agrícolas apresentam dados diferenciados nestas questões. É preciso levar em consideração os períodos chuvosos, principalmente no cuidados com as sementes, para que a perda não seja desastrosa. Os plantios de culturas agrícolas e de pastagens ajudam a combater a erosão, mas não eliminam o problema”, detalhou.

O consórcio entre milho e braquiária pode ser bem sucedido nas terras do Mato Grosso do Sul. Depois da soja, o milho safrinha é a bola da vez em termos de pesquisas no Estado. Em termos gerais, Zimmer destacou que as pesquisas vêm contribuindo diretamente para o aumento da produção na agricultura e na pecuária, com o crescimento de 15% nas áreas de pastagens, o aumento de 215% no rebanho e de 440% na produção de carne, em todo o País num período de 40 anos.

Zimmer só não mencionou que a área plantada com eucalipto cresce em uma média anual de 25% e que hoje já existem 612 mil hectares de florestas plantadas. O Dia da Integração Lavoura, Pecuária Floresta foi promovido pela Rica Soluções em Agronegócio, em parceria com a Fundação MS e apoio da Associação dos Criadores do Mato Grosso do Sul (Acrissul) e Painel Florestal.

(*) Com informações de Painel Florestal

Comentários