12/05/2018 12h48

Vítima era responsável técnica do Samu. Sua morte causou comoção em Peruíbe, no litoral paulista.

Redação

Uma enfermeira, de 38 anos, foi assassinada dentro de casa em Peruíbe, no litoral de São Paulo, nesta quinta-feira (10). A vítima foi encontrada ainda com vida pelo marido e chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos. Ainda não há confirmação sobre a causa da morte, mas seu próprio filho foi preso por ser suspeito do assassinato.

Segundo a Polícia Civil, equipes receberam a informação de um homicídio e se deslocaram até a Rua Luiz de Paula, no bairro Estação, para atender a ocorrência. Ao chegarem ao local, a Polícia Militar já estava no imóvel e a enfermeira Priscila Coral Ramalho já havia sido socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhada à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Peruíbe, onde acabou falecendo.

De acordo com o registro oficial, o marido da vítima saiu de casa pela manhã para trabalhar e deixou Priscila e seu enteado dormindo. Ao retornar para a residência, por volta do meio-dia, ele chamou pela esposa, que não respondeu. Após procurá-la no quarto do casal, escutou o barulho do chuveiro ligado no banheiro do piso inferior, onde encontrou a enfermeira inconsciente e caída no chão do box. Ele tentou reanimá-la, mas não teve sucesso. Na sequência, ele acionou o Samu.

Segundo informações apuradas pelo G1, os policiais civis ainda encontraram um líquido vermelho no chão do banheiro, que aparentava ser sangue. Além disso, os móveis da casa estavam desarrumados. A perícia foi acionada para examinar o local do crime.

O filho da vítima, de 18 anos, chegou em casa enquanto as equipes ainda estavam no local. De acordo com as autoridades, ao ser questionado, ele se comportou de maneira confusa e contraditória. O jovem ainda apresentava marcas de arranhões no rosto e no braço, indicando que se envolveu em luta corporal.

Diante da suspeita de ele ter cometido o crime, o rapaz foi detido e encaminhado para realizar exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) de Praia Grande, também no litoral paulista. Na sequência, ele foi transferido para a Cadeia Pública de Peruíbe, onde aguarda audiência de custódia. A PM informou que o jovem era usuário de drogas. De acordo com testemunhas ouvidas pela polícia, Priscila já havia relatado que estava enfrentando problemas com o filho.

O corpo de Priscila ainda está no IML de Praia Grande, onde passa por perícia para descobrir a causa exata da morte. O laudo ainda não foi divulgado. Em seguida, o corpo deve seguir para Pouso Alegre, em Minas Gerais, onde ela possuía família e acontecerá o velório. O boletim de ocorrência foi registrado na Delegacia Sede de Peruíbe, por onde o crime será investigado.

O assassinato causou grande comoção entre moradores e autoridades da cidade. O prefeito Luiz Maurício (PSDB) postou uma foto de Priscila, que era responsável técnica do Samu no município, em suas redes sociais, demonstrando solidariedade aos familiares e amigos e agradecendo pelos serviços prestados.

(*) G1

Morte de Priscila comoveu moradores e autoridades de Peruíbe, SP (Foto: Reprodução/Facebook)

Comentários