Williams Araújo

Fraude

Não será somente a CPI da Enersul que vai tentar descobrir o rombo de R$ 700 milhões na empresa e que foram custeados pelo consumidor sul-mato-grossense. O deputado federal Elizeu Dionízio (SD) também corre por fora e tenta obter, por meio da Comissão de Valores Mobiliários, o nome dos beneficiados do esquema que aparenta ser fraudulento.

Nomes de 60 pessoas, entre física e jurídica, aparecem numa lista.

Descontente

Via twitter, o empresário de comunicação e presidente regional do PSD, Antônio João Hugo Rodrigues, disparou que a política do jeito que vem sendo feita não é coisa pra gente séria. Com isso, deve se reunir hoje com o ministro das Cidades e presidente nacional do partido, Gilberto Kassab, e pode deixar a direção da sigla.

Foi enfático, porém, ao afirmar que se a decisão for mesmo esta, será em caráter irreversível. Acha ele que cuidar da família pode ser o seu melhor caminho.

Transparência

O balanço dos 100 dias da gestão do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) será feito na próxima sexta-feira, dois dias após divulgar auditoria nas contas da gestão do antecessor. Ao tomar tal decisão, o tucano não quis correr nenhum risco de ficar de pés e mãos atados no início do seu governo.

Mas, mesmo assim, conseguiu implementar o que fora prometido em campanha. O exemplo maior é a ‘Caravana da Saúde’, que animou o povão. E, claro, desanimou os adversários que torciam pelo quanto pior melhor.

Jabá artístico

Privilegiada, a cantora Delinha (78), da antiga dupla Délio e Délinha, deve começar a embolsar em breve uma pensão vitalícia no valor de R$ 3.152,00. Equivalente a quatro salários mínimos, a grana deve sair dos cofres da Agência de Previdência Social de Mato Grosso do Sul.

De autoria do deputado Lídio Lopes (PEN), projeto nesse sentido foi aprovado ontem pela CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Redação) da Assembleia Legislativa, mas ainda precisa ser aprovado pelo plenário da Casa. Se a moda pega!

A míngua

A frustrante participação do nanico PRP no ônibus do senador Delcídio do Amaral (PT), derrotado para o tucano Reinaldo Azambuja (PSDB) no segundo turno das eleições para o governo de Mato Grosso do Sul em 2014, resultou numa debandada de lideranças regionais.

Até então dirigido pelo barnabé graduado da Assembleia, Dorival Betini, o PRP cederá parte de suas lideranças ao governista PSDB, e outra ao aliado PR do eterno cardeal Londres Machado.

Comentários