Objetivo é cumprir sete mandados de busca e apreensão e desbaratar a organização criminosa voltada à prática de peculato, fraude a licitações e lavagem de dinheiro

O Ministério Público de Mato Grosso do Sul, por meio do GAECO (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), em conjunto com a Promotoria de Justiça do Patrimônio Público de Água Clara, deflagrou, na manhã desta quinta-feira (26), a Operação “Carta Marcada”, com o objetivo de cumprir sete mandados de busca e apreensão e desbaratar a organização criminosa voltada à prática dos crimes de peculato, fraude a licitações e lavagem de dinheiro.

Os mandados foram expedidos pelo Juízo da comarca de Água Clara. No decorrer das investigações, conduzidas pela Promotoria de Justiça de Água Clara, apurou-se que as empresas combinavam os valores apresentados como proposta nos certames da Câmara de Vereadores e da Prefeitura Municipal de Água Clara, manipulando a competitividade inerente ao processo licitatório. Durante os trabalhos de investigação, apurou-se também desvio de verba pública na Câmara Municipal.

O trabalho de investigação acredita que o desvio de dinheiro público teve início com a elaboração de processos licitatórios fraudulentos, na modalidade convite, os quais eram direcionados a empresas predeterminadas. Foram utilizadas várias estratégias para combinação de propostas, que eram apresentadas por todo o Estado do Mato Grosso Sul em licitações para os mais variados serviços de assessoria e consultoria em gestão pública.

A Operação “Carta Marcada” está em andamento, mais informações serão prestadas no decorrer do dia.

(*) Site MPMS

Comentários