26/02/2018 08h03

Governo de MS quer ferrovia no PPI para garantir recursos

Objetivo é conseguir parte dos R$ 6 bi de banco alemão

Redação

O governo do Estado quer incluir a recuperação da malha da Ferrovia TransAmericana no Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) do governo federal para assegurar que parte do R$ 6 bilhões que o Deutsche Bank (Banco Alemão) tem para financiar obras no Brasil possa ser destinado a este projeto.

O grupo de investidores internacionais – que tem grupos chineses e alemães – projetaram em R$ 1,8 bilhão o valor a ser aplicado na recuperação desta malha ferroviária, que vai ligar o porto da cidade de Ilo, no Peru, ao Porto de Santos (SP), passando por Mato Grosso do Sul.

Para dar mais segurança aos interessados em viabilizar a malha ferroviária, o governador Reinaldo Azambuja esteve na semana passada no Palácio do Planalto conversando com os ministros da Secretaria de Governo da Presidência da República, Carlos Marun, e da Secretaria-Geral, Moreira Franco, para que incluam a ferrovia no PPI, que foi criado pelo governo federal para reforçar a coordenação​​ das políticas de investimentos em infraestrutura por meio de parcerias com o setor privado.

“Conversamos com o Marun (ministro) para o projeto ser inserido no PPI, para a malha oeste ser inserida como prioridade neste programa de investimento. Aí teríamos a facilidade de crédito e principalmente a sinalização do governo para os investidores internacionais que querem aportar recursos nessa ferrovia que vai ligar os portos do Atlântico até os do Pacífico. Além de facilitar a obtenção de financiamento, é um sinal aos investidores que ajuda muito”, explicou o gestor estadual.

(*) Correio do Estado

Malha ferroviária de Mato Grosso do Sul tem pouca movimentação de cargas atualmente - Foto: Valdenir Rezende / Correio do Estado

Comentários