19/01/2013 10h00 – Atualizado em 19/01/2013 10h00

À exceção de Dourados, maiores cidades de MS efetivaram empregados temporários do comércio

Muitos trabalhadores temporários do estado foram efetivados no emprego neste fim de ano, com excessão de Dourados todas as grandes cidades do estado fizeram novas contratações

Da Redação

À exceção de Dourados, muitos trabalhadores temporários, contratados para as vendas de final de ano pelo comércio das maiores cidades de Mato Grosso do Sul, foram efetivados no emprego. O motivo, segundo Idelmar da Mota Lima, presidente da Federação dos Trabalhadores no Comércio de Mato Grosso do Sul – Fetracom/MS, é porque a economia do Estado, assim como do País, vai bem e as vendas continuam boas nesse início de ano na maioria dos municípios do Estado.

Os números comprovam a efetivação dos temporários contratados pelo comércio de Campo Grande, Três Lagoas, Corumbá e Ponta Porã. O setor aproveita esse período para promover também uma renovação do quadro de funcionários.
Normalmente aqueles que se destacam mais e procuram desempenhar melhor a função, permanecem no cargo em lutar de outros, mais antigos até, que tiveram sua produção reduzida, explica Idelmar.

Na Capital, segundo Idelmar, que também preside o Sindicato dos Empregados no Comércio de Campo Grande – SECCG, a cidade conta hoje com mais de 40 mil comerciários (em lojas e supermercados) e para as vendas de final de ano foram contratados em torno de 3 mil temporários, dos quais em torno de 400 permaneceram no emprego nesse início de ano.

Em Três Lagoas, onde trabalham em torno de 2.500 comerciários, também teve contratação de temporários no final do ano. De acordo com Eurides Silveira, presidente do sindicato dos comerciários da cidade, foram contratados cerca de 250 pessoas para reforçar as vendas de lojas e supermercados. Destes, pelo menos 50, segundo ele, permaneceram no emprego.

“Três Lagoas está crescendo astronomicamente na indústria e isso acaba refletindo em todas as demais áreas, inclusive no comércio. Por conta disso estamos sempre otimistas e acreditamos no crescimento constante também de nosso setor”, afirmou Eurides Silveira que representa a Força Sindical Regional Mato Grosso do Sul na cidade e região.

Aloísio Carmo de Campos, presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Comércio de Corumbá, também está otimista. A cidade, segundo ele, conta hoje com cerca de 3 mil comerciários e no final do ano passado foram contratados cerca de 300 temporários, dos quais pelo menos 30 permaneceram no emprego. “Se nossa economia continuar crescendo como ocorreu em 2012, acreditamos que novas contratações serão feitas e novos empreendimentos serão abertos na cidade para o atendimento inclusive do fluxo de turistas que só aumenta na nossa Cidade Branca”, comentou.

DOURADOS

Pedro Lima, presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio de Dourados lamentou o fato do setor lojista e de supermercados não segurar pelo menos parte dos 800 trabalhadores temporários contratados para reforçar as vendas de final de ano.

A entidade, segundo ele, até que tentou sensibilizar empresários para manter parte dos novos contratados, mas não conseguiu. Muitos que ficaram foi porque tomaram o lugar de outros que perderam o emprego. “Isso é lamentável”, afirma Pedro Lima.

De otimismo mesmo o sindicalista cita o bom atendimento que os comerciários têm em sua sede de campo, onde foram construídas piscinas, quiosques, campos de futebol, quadras poliesportivas, salões de festa e outros atrativos e infraestrutura para o lazer da família comerciária douradense.
O clube de campo dos comerciários está localizado “na melhor área de lazer da cidade”, como explica Lima, sobre o endereço desse local: na rodovia BR Dourados/Ponta Porã, a 100 metros do Trevo da Bandeira.

O comércio na fronteira com o Paraguai, a cidade de Ponta Porã, também está bem aquecido nesse início de ano. De acordo com o líder sindical Divino José Martins, pelo menos 50 dos 200 empregados temporários contratados no final do ano, foram efetivados nesse início de 2013. A cidade conta com um total de 1.600 comerciários e a tendência é de novas contratações durante o ano se a economia do Estado e do País continuar em ascensão como em 2012.
“Estamos otimistas de que este ano será um ano de muita sorte, crescimento e desenvolvimento para todos”, afirmou Divino.

(*) Com informações de Assessoria de Comunicação Fetracom

Diretoria da Fetracom MS (Foto: Divulgação)

Comentários