16/01/2013 09h14 – Atualizado em 16/01/2013 09h14

Devido inoperância do Consórcio UFN3 obras estão atrasadas e pode comprometer cronograma de entrega

Cerca de três mil e quinhentas pessoas estão de braços cruzados reivindicando equiparação salarial

Ricardo Ojeda

As obras da fábrica de fertilizantes da Petrobras, que está sendo construindo pelo Consórcio UFN3 em Três Lagoas estão paradas. Segundo informações extra-oficiais, mais de 3.500 trabalhadores estão nesse momento na frente do complexo e na rodovia, BR 158.

Alguns trabalhadores inclusive chegaram a fechar a rodovia impedindo o tráfego de veículos na via.

A greve teve início na tarde de ontem, dentro do Consorcio UFN3, com a paralisação dos trabalhadores e na manhã dessa quarta-feira ganhou a adesão de todos os operários.

INSATISFAÇÃO

Informações dão conta que o movimento foi deflagrado devido à insatisfação dos trabalhadores da construção civil que não recebeu aumento do piso salarial semelhando ao que foi dado aos colegas do setor da montagem.
A reportagem do Perfil News está se deslocando para o local e em breve terá mais informações.

Obras da unidade de fertilizantes da Petrobras já consumiu do orçamento por voltas de R$ 500 milhões, sendo que o valor final do complexo é de R$ 3 bi e a construção devido o atraso pode não ser entregue como prevê o cronograma, prevista para setembro de 2014 (Foto: Ricardo Ojeds)

Comentários