07/07/2017 13h49

Segundo o presidente da Cassems a padronização no atendimento dos pacientes com dores torácicas, localidade onde fica o principal órgão humano é essêncial

Redação

Nesta quinta-feira (6) o Hospital Cassems de Campo Grande lançou um importante protocolo de atendimento, o da Dor Torácica, que deverá ser seguido por todo o seu corpo clínico no Pronto Atendimento e que poderá salvar muitas vidas. A atividade aconteceu no início da noite e contou com a presença de um dos mais renomados cardiologistas brasileiros, Dr. Carlos Gun e também teve a presença do presidente da Caixa de Assistência, Ricardo Ayache, que também é médico cardiologista e entende bem a importância do diagnóstico rápido, quando o assunto é relacionado ao coração.
Segundo o presidente da Cassems a padronização no atendimento dos pacientes com dores torácicas, localidade onde fica o principal órgão humano é essêncial, pois nem todos os médicos plantonistas são cardiologistas, mas com o protocolo eles podem rapidamente diagnosticar o problema e aplicar a solução.

“Cerca de 5% a 10 % de todos os atendimentos nas salas de emergência são por dor torácica e é complexa a diferenciação com as síndromes coronarianas agudas, que oferecem risco de morte, como o enfarto, por exemplo, por isso estamos implementando este processo em nosso Hospital, pois esta questão exige dos profissionais da área da saúde um diagnóstico preciso e uma conduta rápida”, explicou.

Ricardo Ayache disse ainda que o protocolo também influencia em outros setores do Hospital, que vão muito além do Pronto Atendimento, como é o caso da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). “Com um diagnóstico preciso, em um espaço curto de tempo, já temos os encaminhamentos que serão necessários para aquele paciente, diminuindo assim, inclusive, as internações para observação em espaços como a UTI, isso desafoga todo o sistema hospitalar, dando condições de atendermos, cada vez com mais atenção e agilidade, os casos mais graves”, ressalta.

De acordo com o cardiologista, palestrante da noite, Dr. Carlos Gun, o Hospital Cassems de Campo Grande está de parabéns por essa iniciativa, pois ela pode mesmo salvar vidas. “Com o Protocolo da Dor Torácica implementado, funcionando plenamente, a redução de óbitos pode ser de 30% a 40%, já tivemos a experiência em hospitais grandes do país que os resultados foram incríveis e com certeza, com o comprometimento e com a estrutura que eu pude comprovar nesta unidade hospitalar, não tenho dúvidas de que esse será mais um procedimento de sucesso implementado”, enfatiza.

Palestrante

Para detalhar aos colaboradores do Hospital Cassems a importância deste Protocolo a Caixa de Assistência trará o médico cardiologista, Dr. Carlos Gun, que além de representante de cardiologia na Comissão Nacional de Residência, ele é professor-titular da disciplina de cardiologia da Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro – UNISA, chefe da U.T.I do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia. Membro da Amerincan Heart Assocation Basic Cardiovascular Sciences. Diretor da SBC/Funcor, seção de credenciamento da Residência de Cardiologia.

(*) Assessoria de Comunicação

Foto/Assessoria

Comentários