09/12/2014 08h05 – Atualizado em 09/12/2014 08h05

Inadimplência do consumidor cresce 10,9% em novembro, revela Serasa Experian

A alta da inadimplência em novembro deste ano em relação ao mesmo mês do ano passado decorre das maiores dificuldades do consumidor em pagar as suas contas em dia tendo em vista os aumentos sucessivos das taxas de juros

Assessoria

O Indicador Serasa Experian de Inadimplência do Consumidor apontou crescimento de 10,9% em novembro de 2014 contra o mesmo mês de 2013. No acumulado de janeiro a novembro deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado, o índice fechou com elevação de 5,6%. Já na comparação com o mês anterior (outubro de 2014), o índice teve queda de 1,2%.

Segundo os economistas da Serasa Experian, a alta da inadimplência em novembro deste ano em relação ao mesmo mês do ano passado decorre das maiores dificuldades do consumidor em pagar as suas contas em dia tendo em vista os aumentos sucessivos das taxas de juros ao longo deste período e o enfraquecimento gradual do mercado de trabalho, com queda do nível de emprego em alguns setores da economia, especialmente no setor industrial. Por outro lado, o recuo da inadimplência em novembro/14 com relação ao mês imediatamente anterior (outubro/14) é explicado pela menor quantidade de dias úteis (20 em novembro contra 23 em outubro), impactando principalmente a quantidade de cheques devolvidos pela segunda vez por insuficiência de fundos.

Na decomposição do indicador, as modalidades de dívidas não bancárias (junto aos cartões de crédito, financeiras, lojas em geral e prestadoras de serviços como telefonia e fornecimento de energia elétrica, água etc.) e cheques sem fundos puxaram a queda mensal, com variações negativas de 3,1% e 12,0% e contribuições negativas de 1,4 p.p. e 0,9 p.p., respectivamente. Já a inadimplência com os bancos e os títulos protestados tiveram alta de 1,6% e 16,9% e contribuíram com 0,8 p.p. e 0,3 p.p., respectivamente. Veja os dados completos na tabela ao lado:

VALOR MÉDIO

O valor médio das dívidas não bancárias apresentou alta de 12,9% de janeiro a novembro de 2014 na comparação com o mesmo período do ano anterior. O valor médio dos cheques sem fundos e títulos protestados também tiveram crescimento de 6,3% e 0,8%, respectivamente. Já o valor médio da inadimplência com os bancos registrou queda de 3,7%. Confira mais informações na tabela abaixo:

A série histórica deste indicador está disponível em:
www.serasaexperian.com.br/release/indicadores/inadimplencia_consumidor.htm

METODOLOGIA

O Indicador Serasa Experian de Inadimplência do Consumidor reflete o comportamento da inadimplência em âmbito nacional. Considera as variações registradas no número de cheques sem fundos, títulos protestados, dívidas vencidas com bancos e dívidas não bancárias (lojas em geral, cartões de crédito, financeiras, prestadoras de serviços como fornecimento de energia elétrica, água, telefonia etc.) em todo o país. Por levar em conta o inadimplemento das pessoas físicas nas mais diversas modalidades – e não apenas dentro do sistema financeiro –, o índice da Serasa Experian consegue capturar movimentos cíclicos de inadimplência, que, muitas vezes, revelam ocorrências que vão se manifestar no sistema bancário dentro de 6 a 12 meses.

(*) Com Serasa Experian

Segundo a pesquisa, o recuo da inadimplência em novembro/14 com relação ao mês imediatamente anterior (outubro/14) é explicado pela menor quantidade de dias úteis (Foto: Google)

Comentários