27/09/2018 11h38

“Esse dinheiro mudará, efetivamente, a vida das cidades e das pessoas”, afirmou o promotor responsável pelo processo, dr. Edval Goulart Quirino

Gisele Berto

E encerra-se, finalmente, a primeira etapa do processo que envolveu as indenizações da CESP aos municípios afetados pela construção da Usina de Porto Primavera/Sérgio Motta, há 22 anos.
Com exclusividade, o Perfil News recebeu a informação de que o dinheiro começou a ser depositado e distribuído, proporcionalmente, nas contas dos municípios.

Três contas judiciais estão recebendo a totalidade dos depósitos. O valor total, R$ 543 milhões, foi dividido entre as contas das comarcas de Anaurilândia, Santa Rita do Pardo e Bataguassu, cidades que originaram os processos. O dinheiro depositado será redistribuído para todos os municípios – além das comarcas, Brasilândia, Três Lagoas e Batayporã também entrarão na divisão do bolo.

VALORES

Na conta da comarca de Anaurilândia já estão R$ 158 milhões. A conta de Santa Rita do Pardo receberá, ainda hoje, R$ 191 milhões. Para a comarca de Bataguassu o depósito de R$ 194 milhões será feito até segunda-feira.

Todo o montante será distribuído de forma proporcional para os seis municípios. Para o Promotor de Justiça da comarca de Bataguassu, Edval Goulart Quirino, que acompanha o processo há mais de 20 anos, o fechamento desta etapa é uma realização profissional e pessoal. “A aplicação desse dinheiro será de forma prática. As pessoas sentirão os investimentos e isso impactará a vida das cidades. Bataguassu, por exemplo, vai ganhar um Complexo de Segurança, um posto de Polícia Militar com potencial a se transformar em Batalhão; Delegacia da Mulher, teremos médico legista, enfim, toda uma estrutura que vai impactar a vida de todos”, afirma.

PLANOS DE INVESTIMENTOS

Além disso, dr. Quirino cita, ainda, as melhorias por que passará Santa Rita do Pardo. “É uma verba que mudará a cara da cidade. Será implantada iluminação de LED em 100% do município. Delegacia de Polícia, Corpo de Bombeiros, vai reformar escolas. É um dinheiro que vai aparecer”, diz.

O prefeito de Brasilândia, dr. Antonio Thiago, vai chamar uma audiência pública para que a população decida os rumos dos investimentos. Ele já falou ao Perfil News sobre os planos para o uso do recurso – veja matéria aqui. A prefeitura de Anaurilândia também já tem planos audaciosos (veja matéria completa aqui para a aplicação da verba e é outra cidade que deve mudar completamente com o depósito do aporte.

RESILIÊNCIA

“Nós mostramos resiliência e agora colhemos os frutos. Sabíamos que os municípios não haviam sido devidamente compensados e fomos lutar pelos direitos. Isso nos causou momentos difíceis, mas não tem como ir para a guerra e sair sem ferimentos. Quem está na vida pública precisa se sujeitar a isso se quiser mudar alguma coisa. Ou fica sentado no gabinete sem fazer nada, vendo o tempo passar. Mas isso não faz o meu estilo e eu não me sentiria bem me omitindo. A recompensa está aí, agora que vamos ver as comunidades se transformarem”, desabafou o promotor dr. Quirino.

A reportagem do Perfil News esteve recentemente em Anaurilândia, para acompanhar os promotores, Edval Quirino e Allan Thiago Barbosa Arakaki na reunião que notificou o prefeito Edinho Takazono para o procedimento de abertura de conta corrente  (Foto: Marcia Héllem)

O promotor Edval Quirino esteve no mês passado em Três Lagoas onde se reuniu com o prefeito Angelo Guerreiro para tratar dos procedimentos de abertura de uma conta específica (Foto: Ricardo Ojeda)

O prefeito de Brasilândia, Antonio Thiago disse que vai realizar uma Audiência Pública com o MP e a comunidade para captar sugestões das necessidades de investimentos no município (Foto: Marcia Héllem)

Comentários