10/11/2006 16h15 – Atualizado em 10/11/2006 16h15

Assessoria de Comunicação

A Assessoria de Comunicação da International Paper encaminhou e-mail a imprensa prestando esclarecimentos sobre a permuta de ativos firmado no dia 19 de setembro passado entre a International Paper (IP) e Votorantim Celulose e Papel (VCP). Veja a nota: 1) O Projeto Fábrica Três Lagoas significa na construção pela IP de duas fábricas. Uma será a fábrica de papel (que será operada pela IP) e uma outra, que é a unidade de celulose (que será operada pela VCP). 2) O valor que a IP passará a VCP para a construção da unidade fabril de celulose é da ordem de US$ 1,15 bilhão. Além disso, a IP repassará a VCP as terras e base florestal localizadas no Mato Grosso do Sul. O processo de troca de ativos deverá ser concluído até o dia 1º de fevereiro de 2007; 3) Em troca, também até a data mencionada (01/02/2007), fica acordado que as terras, floresta e fábrica integrada de celulose e papel da VCP, no município paulista de Luiz Antônio, serão transferidas para o portfólio de negócios da IP; 4) As fábricas de papel (IP) e de celulose (VCP) em Três Lagoas, cujo início das obras está previsto para o primeiro semestre de 2007 e o começo das operações para janeiro de 2009, não são integradas (interligadas), isto é, são independentes; 5) Projeto financeiramente robusto e de notáveis benefícios para o desenvolvimento socioeconômico da região, estado e País, a IP vai investir US$ 350 milhões na construção e operação dessa fábrica de papel no município sul-matogrossense, com a instalação inicial de uma máquina, com capacidade para 200 mil toneladas/ano, podendo inclusive, investir futuramente a mesma soma na instalação de uma segunda máquina (a partir de 2009); 6) Deste modo, conclui-se que a IP acredita no Brasil, pois investe um valor superior ao inicialmente programado. O País é parte importante da estratégia da IP de ser uma empresa mais focada e mais global, que tem como plataforma de negócios os papéis para imprimir e escrever e as embalagens, conforme as diretrizes do Plano de Transformação mundial da companhia. Por isso, a empresa avalia que a troca de ativos com a VCP é uma excelente opção para o desenvolvimento de suas atividades na América Latina, em particular o de papel para imprimir e escrever. Milton, Rosana e Marcia.

Comentários