06/09/2017 08h54

MP recomendou a não instalação no canteiro central da avenida Afonso Pena, baseado na avaliação negativa do Instituto de História e Geografia de MS

Redação

O juiz de Direito David de Oliveira Gomes Filho, da 2ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos de Campo Grande, determinou 60 dias para o município de Campo Grande instalar a estátua em homenagem ao centenário do poeta Manuel de Barros.

A prefeitura da capital sul-mato-grossense foi notificada da decisão. Segundo informou ao G1, vai reunir as pastas responsáveis na quarta-feira (6) para definir o procedimento a ser tomado.

Segundo a decisão proferida na segunda-feira (4), o local não poderá ser dentro da área de restrição da Secretaria da Cultura de Campo Grande e do Instituto de História e Geografia de Mato Grosso do Sul (IHGMS), caso mantenha a ideia de colocar a estátua no canteiro central da avenida Afonso Pena.

A estátua em bronze do poeta Manoel de Barros, pesando 400 quilos, custou R$ 232 mil e foi apresentada no último dia 18 de abril. Desde então, a data para instalação era incerta porque o governo do estado queria instalar a obra de arte no canteiro central entre as ruas Rui Barbosa e 13 de Maio.

O local escolhido inicialmente foi considerado “um sítio militar” pelo IHGMS. Além disso, o canteiro central da avenida Afonso Pena foi tombado patrimônio histórico e cultural. Na decisão, David de Oliveira arbitra uma multa de R$ 100 mil em favor do Fundo Municipal do Meio Ambiente em caso de descumprimento.

(*) G1.COM

Estátua em tamanho real de Manoel de Barros fica pronta e será instalada em Campo Grande (Foto: Chico Ribeiro/Governo de MS)

Comentários