23/04/2013 09h25 – Atualizado em 23/04/2013 09h25

Carros trafegavam em velocidade entre 90 e 120 km/h, aponta laudo policial. Um dos condutores morreu e outro foi preso e indiciado por homicídio

Da Redação

Laudo da perícia entregue à Polícia Civil nesta segunda-feira (22) confirma que os dois condutores envolvidos em um acidente na avenida Duque de Caxias, no dia 31 de março, em Campo Grande, disputavam racha. Na corrida, um deles, o universitário Marcus Vinícius Henrique de Abreu, 22 anos, morreu e a namorada dele, Letícia de Souza Santos, 23 anos, ficou ferida.

De acordo com a perícia da Polícia Civil, os veículos envolvidos estavam entre 90 e 120 km/h. O que era conduzido pelo universitário bateu na traseira de uma caminhonete antes de ser atingido na lateral pelo veículo de Ryan Douglas Vieira, 20 anos, preso como suspeito de ter provocado o acidente. Em seguida, Abreu atingiu um poste.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Natanael Balduíno, da 7ª DP de Campo Grande, pelo impacto da batida e pelos danos causados nos veículos, não há dúvidas de que os jovens estavam participando de uma competição não autorizada. O laudo será encaminhado ao Ministério Público Estadual (MPE), que já está com o inquérito do caso. Segundo ele, foi possível determinar a dinâmica da colisão.

Em relato à polícia, Ryan Vieira disse que estava dirigindo a 80 km/h, mas não participava de racha. O rapaz disse que acelerava apenas para mostrar a potência do motor e parou em todos os sinais vermelhos. A namorada de Abreu, Letícia, também nega participação na competição.

Ryan Douglas foi indiciado por homicídio qualificado com dolo eventual, tentativa de homicídio e participação em competição não autorizada. O promotor Humberto Lapa Ferri pediu a complementação do inquérito para apurar a participação de outro condutor, um militar que prestou socorro às vítimas e consta como testemunha do acidente.

(*) Com informações de G1 MS

Carro que bateu em poste, durante 'racha' em Campo Grande (Foto: Maressa Mendonça/ G1 MS)

Comentários