28/04/2015 17h58 – Atualizado em 28/04/2015 17h58

O senador sul-mato-grossense foi escolhido líder do governo pela presidente Dilma Roussef e a mensagem com a sua nomeação foi publicada nesta terça-feira, 28 de abril, no Diário Oficial da União

Assessoria

O senador Delcídio do Amaral (PT/MS) já definiu as prioridades com as quais vai trabalhar nas próximas semanas como novo líder do governo no Senado.

“Além de discutir o projeto que dá 30 dias de prazo para o governo trocar o indexador da dívida de estados e municípios com a União e a questão da terceirização, vou conversar com os líderes de todos os partidos, sejam eles aliados ou de oposição, sobre a necessidade de aprovarmos matérias importantes que tramitam no Congresso, como o pacote fiscal elaborado pela equipe econômica, as Medidas Provisórias 664 e 665, que estabelecem novas regras de acesso a benefícios previdenciários e trabalhistas, além de projetos fundamentais para atrair investimentos e desenvolver o país, principalmente na área de logística.

O governo tem feito um trabalho admirável na área social. Mas é preciso investir na infraestrutura para que o Brasil volte a crescer com pleno emprego”, afirmou o senador.

APOIO UNÂNIME

Delcídio foi indicado líder do governo do Senado pela presidente Dilma Roussef através de mensagem publicada nesta terça-feira, 28 de abril, no Diário Oficial da União. O nome do parlamentar sul-mato-grossense foi aprovado por unanimidade pelos membros do Conselho Político. O senador atribui a decisão da presidente Dilma ao espírito conciliador que demonstrou ao longo de 14 anos de vida pública.

“Eu obtive a unanimidade do Conselho em função do espírito conciliador que tenho. Sou uma pessoa de diálogo, que ouve bastante, e continuarei sendo desse jeito, com muito trabalho e humildade. Não serei um líder que bate de frente, com gritaria. Quando coloquei isso para a presidente e aos meus pares eles próprios me disseram que é exatamente por esse perfil que eu sou a pessoa indicada para o cargo nesse momento. Tenho mais essa missão, sem dúvida alguma uma das mais difíceis da minha vida. Mas vou procurar somar, dialogar com a base e a oposição, e, acima de tudo, ajudar o Brasil, a cada cidadão e a cada cidadã do nosso país”, assegurou.

AJUDA AO MS

Delcídio garante que , embora tenha de ficar em Brasília de segunda a sexta-feira, não vai deixar de trabalhar para que Mato Grosso do Sul cresça e se desenvolva.

“Fui o parlamentar que, ao longo da história, mais viabilizou recursos federais para o estado. Em 13 anos, foram mais de R$ 1,8 bilhões para os 79 municípios. É evidente que a liderança do governo vai fazer com que eu tenha que ficar mais tempo em Brasília, mas não há dúvida de que a população vai entender esse meu desafio, até porque a liderança de governo, pela força política da função, vai proporcionar uma ajuda forte ao nosso estado, principalmente nesse momento difícil que Mato Grosso do Sul enfrenta”, ponderou.

O senador sul-mato-grossense além de líder do governo no Senado vai continuar na presidência do CAE (Comissão de Assuntos Econômicos), uma das mais importantes da casa (Foto: Assessoria)

Comentários