28/02/2018 09h43

Após vencimento do prazo, os benefícios passarão a ser bloqueados

Camila Nogueira

O prazo para realização da chamada Prova de Vida do INSS, que havia sido estendido, se encerra hoje (28) em todo o país. Em Três Lagoas, mais de 1 mil pessoas ainda precisam comprovar existência, correndo o risco de perder o benefício.

Conforme o INSS, dos mais de 34 milhões de beneficiários, quase 32 milhões já realizaram o procedimento de comprovação de vida corretamente e garantiram a continuidade do benefício, mas cerca de 3,2 milhões ainda não compareceram às agências.

O prazo, inicialmente até dezembro no ano passado, foi estendido até hoje, 28 de janeiro de 2018, devido ao grande número de pessoas que não haviam realizado o procedimento.

Em Três Lagoas, o número de pessoas que ainda não realizaram a Prova de Vida chega a 1176. Em Mato Grosso do Sul, Campo Grande e Dourados são as cidades com maior número de pessoas que ainda não fizeram a comprovação com respectivamente, 7644 e 2152 beneficiários. Três Lagoas fica em terceiro lugar, seguida por Aquidauana (625), Nova Andradina (571) e Paranaíba (546). Quem não realizar o procedimento, pode ter o benefício bloqueado.

O QUE É A PROVA DE VIDA

A prova de vida é utilizada pelo INSS para comprovar quais beneficiários ainda estão vivos e podem continuar recebendo o benefício. O procedimento é uma forma de evitar que o cadastro de pessoas falecidas continue recebendo benefícios indevidos.

COMO FAZER A COMPROVAÇÃO

Aposentados, pensionistas e recebedores de qualquer outro benefício do INSS precisam fazer a comprovação. Não é necessário ir à Agência da Previdência Social. A prova de vida é realizada na mesma agência bancária em que se recebe o benefício.
Os beneficiários devem levar um documento de identificação com foto (RG, CNH, Carteira de Trabalho) e se dirigirem ao caixa. Será necessário inserir uma nova senha. Em algumas agências existe o cadastro por biometria.

O contribuinte não precisa ir até o INSS, mas sim até a agência bancária em que recebe o benefício. (Foto: Arquivo Perfil News)

Comentários