29/04/2016 16h41 – Atualizado em 29/04/2016 16h41

A taxa no estado é de 568,9 presos, os dados são do Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias (Infopen) divulgado esta semana pelo Ministério da Justiça

Ariane Pontes

Apesar do Mato Grosso do Sul possuir a 11ª população prisional do país, o estado lidera o ranking de maior número de pessoas privadas de liberdade, a cada cem mil habitantes. O índice foi divulgado nesta semana, no Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias (Infopen) elaborado pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen), do Ministério da Justiça, referente ao ano de 2014.

A taxa de pessoas privadas de liberdade para cada cem mil habitantes é a maior do Brasil ficando em 568,9. Em média, a taxa brasileira é de 300 presos para cada cem mil habitantes aproximadamente.

O estado possui 14.904 presos, 11ª maior população prisional do país, desses 29% estão privados de liberdade sem condenação, e 70% desse total está há mais de 90 dias aprisionado. A taxa nacional sobe para 41%.

PERFIL MS

Em MS, são ao todo 44 unidades prisionais, com 6.092 vagas, a média de vagas nos presídios sul-mato-grossense é de 157, entretanto a unidade com maior capacidade chega abrigar 2.696 pessoas.

A maioria das unidades no estado, 25 delas, foram adaptadas para se tornar um estabelecimento penal, apenas 17 foi concebida com esse fim, e dois locais não informaram esse dado.

Predominam nesses estabelecimentos, os jovens, com 48%, sendo 24% de 18 a 24 anos, e a mesma porcentagem pessoas de 25 a 29 anos. Do total de presos 62,9% são negros, 35,7% brancos, 1,1% indígena, 0,3% outras raça.

Grande parte dos encarcerados de MS não terminou o ensino fundamental. A maioria é solteira 43,2%, seguidos pelos que possuem uma união estável e 10% são casados. O estado possui 81 presos com algum tipo de deficiência.

Os presos que ainda não foram julgados estão retidos pelo crime de tráfico de drogas, 51%. Dos que já foram julgados, 30,6% vão cumprir ou já estão cumprindo de 4 a 8 anos de reclusão, 25,8% de 8 a 15 anos.
Cento e oitenta e três presos no estado são estrangeiros, sendo 166 do continente americano.

PERFIL BRASIL

Em todas as Unidades da Federação houve um crescimento da população prisional em relação a cada cem mil habitantes. O número de presos no Brasil chegou a 622.202 em dezembro de 2014. Em dezembro de 2013, eram 581.507, o que mostra que a população carcerária aumentou 7% em um ano (40.695 detentos a mais).

A taxa de ocupação prisional brasileira é de 161%29. No Brasil, em um espaço concebido para custodiar apenas dez indivíduos, há, em média, 16 pessoas encarceradas.

O índice nacional de pessoas privadas de liberdade por raça apontou que dois em cada três presos são negros, no país. Ao passo que a porcentagem de pessoas negras no sistema prisional é de 67%, na população brasileira em geral, a proporção é significativamente menor 51%.

Em 25 anos, o número de pessoas privadas de liberdade no país subiu de 90 mil para 622 mil. (Foto: Agência Brasil)

Comentários