São 52 novos casos de ontem para hoje; número de internações também cresceu

(*) atualizado às 15h30 para correção de informação (marcada em destaque)

O Mato Grosso do Sul voltou a apresentar crescimento expressivo no número de casos confirmados de Covid-19.

De ontem para hoje, 20, foram registrados 52 novos casos. As cidades que apresentaram o maior número de confirmações foram Guia Lopes da Laguna (13). Fátima do Sul e Campo Grande (6 cada).

No boletim divulgado pelo Governo do Estado, a cidade de Brasilândia aparece com 18 casos positivos. No entanto, a Prefeitura de Brasilândia emitiu nota afirmando que a contagem está errada e que a cidade permanece com 15 casos, e que o Governo deve corrigir o boletim na edição de amanhã. Três Lagoas (+2) e Bataguassu (+3) também aparecem entre os casos novos.

Dessa forma, o Estado chega a 693 casos confirmados no total. Desses, 27 estão internados, sendo 11 em UTIs (cinco em leitos públicos e três em leitos privados).

Habilitação de leitos

De acordo como Secretário de Saúde, Geraldo Resende, o Ministério da Saúde teria confirmado a habilitação de mais 77 leitos de UTI no Estado. Assim, já estariam habilitados 150 dos 241 leitos de UTI Covid construídos pelo Estado.

“Há necessidade de termos disposição de leitos”, afirmou Resende. “Especialistas mostram que, a cada 100 pacientes com Covid, entre 8 a 10 precisarão de leitos de UTI”, disse.

Legado do coronavírus

Ainda segundo Resende, o vírus não deixará apenas um legado de mortes e destruição da economia. Devido à pandemia, o Estado acabou fazendo, a toque de caixa, a regionalização da saúde que há tanto tempo era planejada, especialmente na distribuição de leitos para atendimento de alta complexidade.

Casos em investigação

Chamou a atenção, no boletim divulgado hoje, 20, o número de casos em investigação: 770. Segundo a Secretária Adjunta, Christinne Maymone, o alto número se deve ao fato da migração do sistema de dados.

“A maioria desses casos nossos laboratórios já deram o resultado e enviaram aos municípios, que precisam encerrar os casos dentro desse novo sistema para podermos consolidar.” Setenta municípios do MS têm casos sem encerramento no sistema.

Comentários