19/08/2014 16h09 – Atualizado em 19/08/2014 16h09

A polícia procura intensamente o homem que estuprou uma jovem de 23 anos na madrugada do último domingo em Paranaíba e conta com a colaboração da população para obter informações sobre o criminoso

Da Redação

A polícia procura intensamente o homem que estuprou uma jovem de 23 anos na madrugada do último domingo em Paranaíba e conta com a colaboração da população para obter informações sobre o criminoso.

A delegada Eva Maira Cogo da Silva, titular da DAM (Delegacia de Atendimento à Mulher), contou que a polícia está com dificuldades em relação à testemunhas, porque não tinha ninguém no local na hora do fato. A vítima até tentou pedir socorro em algumas casas, mas não conseguiu. Uma testemunha ouvida pela polícia disse que escutou uma pessoa chamando, porém, com receio de não ser uma vítima, e encontrar um usuário de drogas, por exemplo, não saiu para socorrer.

A principal informação da polícia é que a vítima conseguiu lesionar o agressor do lado esquerdo do rosto (as marcas também podem estar na cabeça ou orelha). “Nós temos certeza que machucou, porque tem sangue no vestido dela”, comentou.

A delegada pediu para qualquer pessoa que ver um possível suspeito, com as características do autor, entrar em contato com a DAM, por meio dos telefones 3668 – 1413 e 3503 – 1020. O denunciante será mantido em sigilo, e a polícia verificará a procedência ou não das informações.

Conforme a vítima se recorda, o agressor é um jovem, com idade entre 17 e 21 anos, é de cor morena clara, magro e com aproximadamente 1,70m. Ele estava de calça moletom cinza, com bordado de números, e usava boné. Agora o agressor tem, provavelmente, um ferimento do lado esquerdo do rosto.

A delegada alertou ainda sobre os perigos de andar sozinho à noite. “A recomendação é não andar sozinho à noite; andar em dois nesse horário já é bem complicado e perigoso mesmo”, disse.

Eva Maira contou ainda que nesse tipo de crime a característica do indivíduo é de repetir a ação. “Uma pessoa que aborda outra vai tentar mais vezes, então a nossa preocupação está em identificar o mais rápido possível a autoria desse delito”.

O CASO

Uma jovem de 23 anos foi agredida e estuprada na madrugada do último domingo, por volta das 4h40, quando deixava um baile de formatura, no Santo Antônio, em Paranaíba.

De acordo com o boletim de ocorrência, a vítima, de 23 anos, contou que por volta das 23h40 foi até o salão de eventos do CAP (Clube Atlético Paranaibense), onde ocorreu um baile de formatura. Já no final da festa ela resolveu ir embora sozinha para casa e seguiu caminhando pela rua Theódulo Mendes Malheiros, rente ao muro do CAP. Em determinado momento, percebeu que havia um homem lhe seguindo; ele falava como se estivesse conversando ao telefone, porém a jovem acredita que ele estava apenas simulando uma conversa.

Por desconfiar da atitude do homem e temendo que ele pudesse tentar algo contra ela, a jovem pegou um pedaço de concreto que estava no chão e continuou caminhando. Alguns metros à frente, o homem alcançou a vítima e perguntou se ela queria companhia. Para tentar afastá-lo, ela disse que o seu marido estava esperando um pouco mais adiante.

A mulher continuou caminhando na mesma direção até que foi atacada pelo homem, que aproveitou uma entrada abandonada no CAP, onde existe uma portaria desativada. O homem agarrou a jovem e a jogou contra o muro, onde passou a lhe agredir fisicamente, segurando nos seus cabelos e batendo a cabeça dela no muro.

A jovem alega que para tentar se defender, conseguiu desferir alguns golpes, com a pedra que estava na mão, no rosto do agressor, deixando, provavelmente, algumas marcas aparentes de ferimento no lado esquerdo do rosto. Mesmo assim o homem conseguiu dominar a vítima, que foi obrigada a praticar sexo oral nele. Ele ainda obrigou a jovem a tirar a calcinha, porém não conseguiu consumar a penetração. O agressor, então, tentou levá-la para uma área mais afastada. O homem seguiu agredindo a vítima para que ela o acompanhasse; a jovem concordou em acompanhar, no entanto pediu para ele pegar a calcinha dela, que estava no chão, momento em que ele se distraiu e ela conseguiu escapar, fugindo pela rua e gritando por socorro.

(*)Com informação de Jornal Tribuna Livre

Comentários