18/11/2006 16h36 – Atualizado em 18/11/2006 16h36

Estadão

A polícia identificou uma possível rota de fuga, com manchas de sangue e marcas de mãos nos muros de duas casas vizinhas à residência do casal assassinado na sexta-feira, 17, em Perdizes, zona oeste de São Paulo. Segundo o delegado do Departamento de Polícia de Proteção à Pessoa (DHPP) José Vinciprova Sobrinho, pode-se concluir que existia uma 5ª pessoa dentro da casa durante o crime.

O caso ainda é um mistério. A polícia chegou à casa perto das 7 horas da manhã da sexta-feira após denúncia de porteiros vizinhos, alertados por uma pedestre que passava pela Rua Caiová. Encontrou os corpos ensangüentados do aposentado Sebastião Estevão Tavares, de 71 anos, e Hilda Gonçalves Tavares , de 68. O filho do casal Rogério Gonçalves Tavares, de 42, demorou para abrir a porta e estava com um ferimento na nuca. Além dele, estava dentro da casa Isaura Gonçalves, avó de Rogério, amarrada e trancada em um cômodo.

Neste sábado, policiais do DHPP chegaram ao local do crime perto das 7 horas. Detectaram as manchas, falaram com vizinhos e buscaram a faca usada no crime, ainda não encontrada. A única faca que a polícia achou na sexta-feira estava limpa, num dos quartos. No terreno vizinho, nenhum objeto foi encontrado.

Amigos de Sebastião, que era tesoureiro da Ordem dos Vicentinos, contaram que o idoso era generoso e freqüentava a Igreja Nossa Senhora do Rosário de Fátima. Mariano Silveira, membro da ordem, conhecia Sebastião há mais de 30 anos e, curiosamente, disse nunca ter ouvido falar de Rogério. De Valter, o filho aviador do casal, Sebastião sempre falava, segundo ele.

Um parente que não quis se identificar falou que o Rogério era um ótimo irmão. A família está chateada com a primeira versão da polícia e acredita na inocência de Rogério. Segundo o delegado Vinciprova Sobrinho, do DHPP, Rogério é considerado vítima. “O médico que tratou dele diz que é impossível que ele tenha provocado o corte.” Mesmo assim ainda há a suspeita de que Rogério seja o autor do crime.

Comentários