24/09/2002 08h32 – Atualizado em 24/09/2002 08h32

CIDADE DE GAZA (CNN) – Tropas e tanques israelenses, apoiados por helicópteros militares, entraram na Cidade de Gaza, na madrugada desta terça-feira, e enfrentaram certa resistência armada de militantes palestinos, informaram fontes palestinas e israelenses.

Porta-vozes de hospitais palestinos afirmaram que nove palestinos morreram e 20 ficaram feridos. As forças israelenses retiraram-se antes do amanhecer sem sofrer baixas.

Durante a operação, soldados israelenses fizeram explodir 13 oficinas que eram usadas para produção de munição e foguetes Qassam, segundo uma declaração do Exército. Autoridades militares informaram que já destruíram esse mês 58 supostas fábricas como essas em Gaza.

Além disso, “as Forças de Defesa de Israel demoliram a casa de Mohammad Farhat, que estava envolvido em um atentado terrorista no qual cinco adolescentes morreram e 20 ficaram feridos”, diz a nota.

O militante, de 18 anos, já tinha sido morto em março passado durante o referido ataque contra o assentamento judaico de Atzmona.

Fontes militares israelenses afirmaram que essa operação visava a destruir um total de três casas de militantes palestinos já mortos em missões anteriores, após terem cometido ataques contra civis, segundo Israel.

Uma das casas demolidas pertencia a Jihad Alamirn, ex-comandante das Brigadas dos Mártires de Al Aqsa em Gaza, que foi recentemente morto por soldados israelenses, de acordo com fontes palestinas.

A operação aconteceu após as tropas israelenses terem derrubado no fim de semana passado a maior parte do quartel-general do presidente da Autoridade Palestina Yasser Arafat, em Ramallah, na Cisjordânia.

No início desta terça-feira, o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas aprovou uma resolução condenando o cerco e pedindo o fim da operação militar israelense no complexo de Arafat, que já dura seis dias.

Os Estados Unidos se abstiveram de votar, acusando a resolução de ser “parcial”.

Fonte: CNN

Comentários