16/10/2013 10h42 – Atualizado em 16/10/2013 10h42

O bloco D abrigará refeitório para funcionários e oficinas para os cursos de elétrica industrial e elétrica predial

Da Redação

A obra de reforma e modernização dos blocos D e I da FatecSenai Campo Grande, lançada em março deste ano, está em sua fase de finalização e tem previsão de inauguração para novembro deste ano. Conforme o engenheiro do Sistema Fiems, Raildo Salvador da Silva, os operários estão concluindo a pintura externa do bloco D e a pintura interna do bloco I, além dos detalhes da fachada do bloco I e a área de convivência.

Segundo presidente da Fiems, Sérgio Longen, estão sendo investidos R$ 2,2 milhões nas obras dos blocos D e I para melhorar o atendimento na unidade. “Esse investimento tem como objetivo aprimorar o atendimento oferecido para as indústrias instaladas no município e região, contribuindo para o desenvolvimento do setor industrial. Dessa forma, poderemos ampliar o atendimento, aumentando a eficiência dos nossos serviços, além de amenizar o principal gargalo do setor atualmente, que é a falta de mão de obra qualificada”, declarou.

O gerente da FatecSenai Campo Grande, Artur Quintella, destaca que a conclusão da obra vai resultar no aumento de mil vagas em cursos de qualificação profissional, principalmente nas áreas de elétrica predial e elétrica industrial com a disponibilização de oficinas e laboratórios. “O novo espaço atende não só os anseios da equipe técnica da FatecSenai como também vai oferecer uma estrutura aprimorada para o atendimento do setor industrial com o aumento da oferta de cursos e vagas, assim como irá oferecer um grande benefício aos funcionários que irão contar com refeitório e área de convívio”, disse.

Após as obras de reforma, o pavimento térreo do bloco D da FatecSenai Campo Grande abrigará um refeitório para funcionários, copa, depósito de material de limpeza, área de circulação, cantina, cozinha da cantina e sanitários, enquanto o pavimento superior contará com oficinas para os cursos de elétrica industrial e elétrica predial. Já no bloco I será destinada uma área para abrigar o CTV (Centro Tecnológico do Vestuário), com espaço para coleção, tecidoteca e vestuário, além da construção de salas para serigrafia, corte, expedição e recepção de materiais, prototipagem, meio ambiente, recepção, atendimento e prestação de serviços e sanitários.

(*) Com informações de Assecom Fiems

Comentários