18/11/2006 13h38 – Atualizado em 18/11/2006 13h38

G1.com.br

Um psicólogo é acusado de atear fogo na paciente Edimar Francisca de Oliveira, que estava internada em clínica psiquiátrica de Anápolis, em Goiás, na noite desta sexta-feira (17). Edson Rodrigues foi preso em flagrante e alegou que tudo fazia parte do tratamento baseado em uma terapia de enfrentamento. Edimar, que fazia tratamento contra ansiedade e depressão, sofreu queimaduras de 3º grau nas costas.

Segundo relato da vítima, o psicólogo a obrigou a levantar e ir embora. Para isso, ele ateou fogo no colchão da maca onde estava a paciente. Edimar foi levada para o Hospital de Queimaduras de Anápolis, onde foi medicada. Outros pacientes que estavam perto da vítima ficaram assustados com o ocorrido.

Testemunhas disseram que não é a primeira que o psicólogo age de forma pouco convencional. “Ele já puxou o cabelo, sacudiu, gritou e trancou uma paciente”, disse a agente administrativa Maria de Fátima Melo.

Maurício Candiotto, diretor do hospital onde Edimar foi queimada, disse que abriu uma sindicância para a purar o ocorrido e que prestará toda assistência à vítima. “Vamos ouvir todas as pessoas”, explicou.

O psicólogo, que também foi atingido pelo fogo, tentou se defender, por meio do advogado Eurípede Rosa, afirmando que esse tipo de procedimento fazia parte do tratamento de Edimar. “É uma terapia de enfrentamento e que ele (psicólogo) já havia feito isso outras vezes com sucesso”, disse o advogado.

Comentários