10/11/2015 07h56 – Atualizado em 10/11/2015 07h56

Depois de aprovar o aumento da alíquota do ICMS para produtos considerados supérfluos, a Assembleia Legislativa começa apreciar outra matéria polêmica, a proposta que eleva a cobrança do ITCD (Imposto sobre a Transmissão Causa Mortis e Doação de quaisquer bens ou Direitos), modificada pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB). Pelo projeto, doações e transmissões causa mortis, tributadas com alíquotas atualmente vigentes em 2% e 4%, passarão a vigorar com índices de 3% e 6%. Tem gente rebelde na base aliada prometendo vingança.

REBELDIA

Magoada, a deputada estadual Mara Caseiro (PTdoB) ameaça votar contra o projeto dos inventários (ITCD). Para analistas políticos, como o governo tem maioria folgada na Assembleia não deve sofrer tanta pressão dentro da base aliada. Na votação do projeto que aumenta o ICMS de bebidas e cosméticos, apenas Felipe Orro (PDT), Pedro Kemp (PT), Amarildo Cruz (PT), Cabo Almi (PT), Marquinhos Trad (PMDB) e João Grandão (PT) ficaram contra o governo tucano.

BAÚ

Só foi figura respeitável no meio político sair de cena para que o pessoal da lei começasse a interpelar gente ligada umbilicalmente a ela. Olha que tempo não faltou nesse ínterim para colocar tudo às claras. Mas os adeptos do ditado popular que diz ‘rei morto, rei posto’, preferiu esperar a poeira assentar para afiar as garras e vasculhar todo o arquivo morto. Esse legado é fruto de alguns anos de gestão pública a ser remexido por quem espera encontrar falhas para posterior punição. Tudo isso, ao final, pode também significar um salvo conduto aos responsáveis. O tempo trará a resposta.

EUREKA

A Comissão Processante instalada na Câmara de Vereadores da Capital concluiu que não há elementos para cassar o mandato de Gilmar Olarte (PP). Isso, segundo comentários de analistas, estava escrito nas estrelas. O que não se sabe, porém, é se os vereadores se referem ao mandato de vice-prefeito, para o qual ele foi eleito, ou pelo o cargo de prefeito, de onde ele foi tirado com a volta do titular Alcides Bernal (PP). Como já fora dito anteriormente pela coluna, talvez nem o mais renomado jurista consiga explicar todo esse imbróglio jurídico criado.

TRINCHEIRA

Com dia e hora para começar, mas sem tempo determinado para terminar, teve início ontem a greve dos caminhoneiros por todo o país. Isso significa dizer que o que já estava ruim pode piorar muito mais. O movimento vem se juntar às crises política e econômica, sem falar da inflação, que já começa a corroer o bolso do trabalhador. Dependendo do tempo de duração, poderá haver desabastecimento e encarecer ainda mais os produtos que chegarem às prateleiras dos supermercados. Informações que chegam são de que os homens do volante vão radicalizar.

Comentários