05/10/2013 07h58 – Atualizado em 05/10/2013 07h58

Pesquisa sobre uso de medicamentos inicia em Mato Grosso do Sul

O acesso à política de assistência farmacêutica na Atenção Básica também será avaliado

Daniela Martins e Vera Stumm, Agência Saúde

O acesso à política de assistência farmacêutica na Atenção Básica também será avaliado. No Mato Grosso do Sul, cerca de 1.300 pessoas serão entrevistadas

A coleta de dados da Pesquisa Nacional sobre Acesso, Utilização e Promoção do Uso Racional de Medicamentos (PNAUM), do Ministério da Saúde, começa neste sábado (5) no Mato Grosso do Sul. No país serão entrevistados 38,4 mil pessoas em 245 municípios brasileiros, sobre temas como o uso de remédios, acesso aos produtos no Sistema Único de Saúde (SUS), uso racional de medicamentos e a automedicação.

No estado do Mato Grosso do Sul, cerca de 1.300 moradores de oito municípios (Veja lista abaixo), deverão participar do inquérito. O público será dividido por gênero, escolaridade e em sete faixas etárias – desde crianças a idosos. As informações serão transmitidas em tempo real por tablets. A previsão é que os dados do inquérito estejam finalizados até o início de 2014.

A pesquisa vai mostrar como é a utilização dos medicamentos para as doenças mais comuns e para as crônicas. O levantamento também vai revelar se as pessoas seguem as prescrições médicas e se persistem no tratamento com medicamentos; se há variação no acesso aos remédios de acordo com condições sociais, econômicas e demográficas; e a avaliação dos serviços de assistência farmacêutica na Atenção Básica e uso racional de medicamentos da população.

Em todo o país, 140 entrevistadores irão coletar os dados que, posteriormente, serão analisados por professores-pesquisadores de 12 instituições parceiras do Ministério da Saúde. Ao todo, serão investidos R$ 9,4 milhões no inquérito. A coordenação dos trabalhos será de responsabilidade da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

INTOXICAÇÕES

Para o secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Carlos Gadelha, os resultados da pesquisa vão possibilitar que sejam conhecidos os hábitos da população e o uso racional de medicamentos. Só nos últimos cinco anos, houve quase 60 mil internações por intoxicação medicamentosa. No estado do Mato Grosso do Sul, neste período, foram registradas 595 internações por intoxicação de medicamentos.

A pesquisa está dividida em duas etapas. A primeira, que começou na segunda-feira (23), será realizada nos domicílios dos 26 estados e no Distrito Federal. Os entrevistadores, identificados com crachás e com a carta de apresentação do Ministério da Saúde, vão questionar sobre os hábitos e, inclusive, verificar quais os medicamentos que a população possui em casa.

A segunda parte da PNAUM será a aplicação de questionário nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e nos locais de entrega dos medicamentos nesses serviços. Nesta etapa, secretários de saúde, coordenadores municipais da assistência farmacêutica, responsáveis pela distribuição de medicamentos nas farmácias ligadas ao SUS, médicos e usuários também serão entrevistados. O enfoque será o funcionamento dos serviços de assistência farmacêutica.

MUNICÍPIOS PESQUISADOS

Campo Grande

Chapadão do Sul

Coxim

Dourados

Glória de Dourados

Ivinhema

Naviraí

Três Lagoas

No Mato Grosso do Sul, cerca de 1.300 pessoas serão entrevistadas (Foto: Arquivo)

Comentários