16/02/2018 16h33

Reunião aconteceu na tarde de hoje (16), no 2º Batalhão de Polícia Militar

Redação

Na tarde desta sexta-feira (16), no 2º Batalhão de Polícia Militar de Três Lagoas, representantes de entidades municipais e do Poder Público voltaram a discutir a questão da segurança no município. Somente nesta semana, essa foi a segunda vez em que o tema foi debatido.

Na oportunidade, participaram da reunião o comandante da PM, tenente coronel James Magno, a secretária de Assistência, Vera Helena Arsioli Pinho, o chefe de Gabinete da prefeitura, José Moraes, o representante da igreja católica, bispo Dom Luiz Knupp, membros do conselho de segurança, da Associação Comercial, Sindicato Rural, Sindicato do Comércio Varejista e outras instituições.

Em entrevista ao Perfil News, Vera Helena explicou que, somente no ano de 2017, a Secretaria de Assistência realizou 9.517 atendimentos a pessoas em situação de rua, com passagens, alimentação e orientação psicológica.

De acordo com Vera, atualmente, existem 32 ‘andarilhos’ em Três Lagoas. ‘’Eles ficam perambulando por conta da droga e outros vícios. Temos o cadastro de todos. Sabemos quem são e de onde vieram’’, disse.

NÃO DÊ ESMOLAS

A secretária orienta que a população não dê esmolas aos pedintes e, caso alguém flagre algum deles com crianças, denuncie. ‘’Dias atrás flagramos um casal colombiano fazendo malabares e com uma menina menor de idade; agimos imediatamente. Não permitimos que crianças fiquem expostas ao sol. Essas atitudes devem ser denunciadas ao Conselho Tutelar’’, afirmou.

‘’Pedimos aos moradores que não deem, comida, nem dinheiro. Temos o Centro Pop que oferece refeições diariamente e de graça; fome eles não vão passar. Além disso, em nossa unidade, oferecemos o atendimento e abordagem adequada, feitos por profissionais’’, acrescentou Vera.

POUCO EFETIVO

Ao Perfil News, o tenente coronel James Magno reconheceu que o efetivo da PM em Três Lagoas é pequeno. Ele considera de extrema importância que a população opine a respeito da segurança.

‘’Já saímos da reunião com algumas ideias e talvez consigamos implanta-las. Como a atividade delegada, quando o PM passa a ser remunerado em seu horário de folga. Legalmente falando, vamos correr atrás disso, junto ao governo do Estado e prefeitura’’, anunciou.

(*) Com informações de Ricardo Ojeda

Comentários